Em declarações televisivas, citadas pelas agências noticiosas internacionais, os líderes separatistas Alexandr Zajárchenko e Leonid Pásechnik e um representante do Governo anunciaram hoje a troca de prisioneiros, em Moscovo.

Em causa poderá estar a libertação de 306 pessoas por parte do governo ucraniano e de cerca de 75 detidos pelos separatistas.

A agência Interfax citou o patriarca da Igreja ortodoxa russa, Kiril, que mediou um encontro em Moscovo, onde as partes terão chegado a acordo.

Por explicar fica se os números mencionados englobam todos os prisioneiros de guerra.

O conflito armado no leste da Ucrânia entre separatistas apoiados pela Rússia e tropas governamentais já resultou em mais de 10 mil mortos desde 2014, de acordo com dados das Nações Unidas.

Um acordo de tréguas foi assinado em 2015 e previu a troca de todos os prisioneiros, mas crê-se que ambos os lados retêm dezenas, senão centenas, de presos para os usar como moeda de troca.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.