A Justiça britânica condenou, esta quinta-feira, um homem de 28 anos com esquizofrenia paranoica a uma pena de prisão perpétua com duração mínima de 21 anos, por matar um jovem com facadas e ferir outras sete pessoas em 2020, em Birmingham.

A sentença de Zephaniah McLeod será cumprida, pelo menos inicialmente, num hospital de segurança máxima, antes de ser eventualmente transferido para uma prisão, caso a condição mental assim o permita.

O réu admitiu, com atenuação da sua responsabilidade, ter matado Jacob Billington, um jovem de 23 anos, em 6 de setembro de 2020, na segunda maior cidade do Reino Unido, no centro da Inglaterra. Também se declarou culpado de quatro acusações de tentativa de homicídio e três de lesões com dolo.

"Não há dúvida de que você é um homem muito perigoso e um risco significativo para o público", declarou o juiz Edward Pepperall.

Detido no dia seguinte aos ataques, o acusado contou ter ouvido vozes e parecia indiferente ao que acabara de cometer, observou o Ministério Público durante a audiência em Birmingham.

Zephaniah McLeod apresentou sintomas de esquizofrenia paranoica pela primeira vez em 2012 e foi condenado, várias vezes, por diversos crimes, como roubo e agressão a um bebé de seis meses.

Foi solto da prisão, sem supervisão, em abril de 2020, durante o período de confinamento para prevenir a propagação do coronavírus em Inglaterra, e recusou-se a participar numa avaliação psiquiátrica pouco antes da explosão de violência.

Depois da sua detenção, relatou a um psiquiatra que estava a consumir crack, marijuana e álcool desde o mês anterior. Também disse não ter nenhuma memória do ataque.

Um psiquiatra que o examinou concluiu que ele era "muito perigoso" e estava num surto "psicótico grave", quando cometeu as agressões.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.