"É a maior apreensão de fauna selvagem protegida" já feita no principal terminal aéreo da Colômbia, disse aos jornalistas o coronel Javier Martín, vice-comandante da polícia de Bogotá.

O embarque incomum foi levado a cabo por um homem que tinha deixado a cidade de Cali e pretendia viajar para São Paulo após uma escala em Bogotá.

Ao passar por um posto de controlo, a polícia detetou que o suposto traficante transportava na sua bagagem 424 anfíbios de espécies ameaçadas.

A Secretaria do Meio Ambiente de Bogotá informou pelo Twitter que os animais foram colocados em cilindros de película fotográfica.

As rãs foram retiradas do seu habitat natural, nos departamentos de Chocó e Valle del Cauca, no noroeste e sudoeste da Colômbia, respetivamente, acrescentou a Secretaria.

De aspeto muito colorido, os anfíbios seriam levados para o Brasil, mas provavelmente depois para a Europa ou Ásia.

Removidas do seu habitat, estas rãs deixam de ser venenosas e acabam por ser exibidas ou usadas como animais de estimação.

O homem que foi preso com o carregamento de rãs poderá ser condenado entre cinco a nove anos por tráfico ilegal de espécies protegidas, segundo as autoridades.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.