A festa vai começar neste espaço pelas 19h30, com um jantar-comício onde marcaram presença as principais figuras do partido, nomeadamente Rui Rocha, presidente da IL, que irá discursar às 20h30. Ao líder junta-se Carlos Guimarães Pinto e João Cotrim Figueiredo, ex-presidentes do partido.

Em comunicado enviado às redações, os liberais explicam que "por decisão do Presidente da Assembleia da República, o 25 de novembro foi riscado das comemorações oficiais dos 50 anos do 25 de Abril, que vai contemplar diferentes datas importantes para Portugal. Esta decisão revela desprezo pela história da consolidação da democracia em Portugal e constitui uma tremenda cobardia política, um deplorável oportunismo e uma enorme hipocrisia".

Acrescentam ainda que "se o 25 de abril de 1974 representa a recuperação da liberdade, o 25 de novembro de 1975 foi a data em que se conquistou a democracia. Comemorar o 25 de novembro é, mesmo, um imperativo moral".

Recorde-se que o partido liderado por Rui Rocha tem celebrado desde a sua fundação este dia ao organizar a Festa da Liberdade, contrariando a opção da não comemoração pública desta data.

O partido explica por fim que "num tempo em que crescem os extremismos, à esquerda e à direita, é fundamental celebrar as datas que trouxeram liberdade e democracia ao nosso país. Não se trata de menorizar uma data perante a outra, mas, sim, de celebrar ambas com entusiasmo: sem novembro nunca se teria cumprido abril. O 25 de Abril derrubou uma ditadura, o 25 de novembro impediu que fosse imposta outra ditadura aos portugueses".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.