Depois de uma noite de sobressalto, António da Fonte foi surpreendido esta manhã pelos dois helicópteros que aproveitaram o seu tanque para abastecerem de água.

"Já vieram aqui por quatro vezes. É por uma boa causa. Ajudamos como pudemos", afirmou este residente no lugar de Minhava, freguesia de Adoufe.

Os meios aéreos estavam a despejar água num pinhal à frente da sua casa.

António da Fonte só quer que lhe deixem um pouco de água para estarem prevenidos no caso de o fogo se reacender ali perto.

Outeiro foi uma aldeia muito fustigada pelo incêndio na quarta-feira à noite. Margarida Silva recordou o grande susto que teve quando as chamas se aproximaram da sua casa.

Disse que passou a noite acordada, preocupada, temendo que o fogo voltasse.

"Aqui já está tudo queimado mas a mata ali em cima ainda pode arder", frisou. Por isso afirmou que, por aqui, vão ficar "todos alerta".

Em Testeira, foram também poucos os que conseguiram dormir. O fogo esteve lá perto na quarta-feira à tarde e durante a noite o fumo era muito intenso.

Um dos habitantes, que não se quis dar o nome, disse que foi uma noite de grande preocupação. Ainda há fumo pela serra, aqui e ali alguns focos de incêndio e este popular disse que a grande preocupação é o vento que pode reacender o fogo.

Pela serra do Alvão, estão espalhados 414 operacionais, apoiados por 124 viaturas e quatro meios aéreos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.