Em seis meses o prato de Beatriz Costa evoluiu muito e, como a sua autora, tornou-se maior. Beatriz tem agora 18 anos – tinha apenas 17 quando, em Maio, ganhou o Minho Young Chef Awards, um prémio atribuído ao melhor jovem chef da região, a primeira - e por enquanto única - a fazer oficialmente parte da gastronomia europeia.

A receita que os jurados irão provar nos dias 25 e 26 em Galway, na Irlanda, onde irá decorrer o European Young Chef Awards, está mais sofisticada e é o resultado de meses de trabalho.

Beatriz está agora na Escola Superior de Hotelaria e Turismo, no Instituto Politécnico do Porto, a estudar Serviços de Restauração e Catering, um curso escolhido depois de alguma indecisão e que "está a superar as expectativas", diz. Para trás ficou a Didáxis, cooperativa de ensino em Vila Nova de Famalicão, mas não o professor Filipe, que continua a acompanhar a aluna nesta viagem.

O chef Renato Cunha, jurado e embaixador do Minho Young Chef Awards, completa o trio e em conjunto fizeram um estudo exaustivo do prato apresentado por Beatriz para a ajudar a compreender melhor cada um dos ingredientes e para aperfeiçoar o resultado final.

Minho Young Chef Awards. Mudar o mundo através da comida
Minho Young Chef Awards. Mudar o mundo através da comida
Ver artigo

"Na receita original eu não utilizava a costela. Agora utilizo a carne da costela, desossada e cortada aos pedacinhos, no arroz, que é servido à parte num pequeno tacho de cobre. A carne e o arroz são acompanhados com um esparregado de grelos e com pickles de cebola e cenoura", revela Beatriz. O amarelo da cebola é da curcuma e o rosa é da beterraba, que acrescentam cor e sabor ao prato.

A jovem chef fala com o SAPO24 por telefone, na véspera da partida, ainda a fazer as malas, com voo marcado para as 06h30 da manhã. Confessa que está um pouco nervosa, mas promete aproveitar cada bocadinho desta experiência. Só andou de avião uma vez, para ir ao Açores, em 2007, e a única vez que foi ao estrangeiro (Espanha) foi de automóvel. Da Irlanda sabe pouco, além de que produzem e bebem muita cerveja, por isso vai cheia de curiosidade: "Conheço alguma coisa da culinária de França e de Itália, é bom poder experimentar coisas novas e conhecer a cultura irlandesa ao nível da gastronomia".

Na bagagem leva o indispensável para o tempo que vai ficar em Galway e muita esperança. Tanta como a felicidade que foi ver o chef António Loureiro e o restaurante A Cozinha, de Guimarães, ser distinguido com uma estrela Michelin, esta quarta-feira. "É um orgulho e a prova de que a gastronomia da nossa região, o Minho, é cada vez mais reconhecida".

Um mundo onde ainda há mais chefs homens do que mulheres, talvez pela dureza e exigência da profissão, mas onde cada vez mais começam a entrar mulheres. Beatriz Costa é uma delas e, seguramente, um nome a reter: este domingo apresenta o seu arroz em vinha d'alhos tradicional e na segunda-feira o prato inovado. Só de olhar cresce água na boca.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.