“O Conselho considera que o cartoonista usa o exagero e o absurdo para fazer valer o seu ponto, mas aceita a defesa do jornal, que alega que a senhora Williams não é caracterizada como um macaco, mas sim como alguém a 'fazer uma birra', uma caricatura não racista, familiar à maioria dos leitores australianos”, escreve em comunicado a entidade reguladora da Austrália para a comunicação social.

Em 10 de setembro de 2018, dois dias depois de Serena Williams ter perdido a final do Open dos Estados Unidos diante da japonesa Naomi Osaka, Mark Knight publicou no jornal australiano Herald Sun uma imagem satírica do incidente que a tenista norte-americana protagonizou com Carlos Ramos.

Durante o encontro, a atual número dez mundial partiu a raquete em pleno ‘court’, protestou de forma veemente e insultou Carlos Ramos, a quem chamou mesmo de “ladrão e mentiroso”, tendo recebido três advertências do árbitro português: por ‘coaching’ (receber instruções do treinador), por ter partido uma raqueta, que deu origem a um ponto de penalidade, e abuso de linguagem, do qual resultou num jogo de penalização.

“O Conselho reconhece que alguns leitores acharam o cartoon ofensivo, mas também aceita que existiu um interesse público suficiente em comentar o comportamento e espírito desportivo durante uma disputa significativa entre uma tenista com um alto nível global e um árbitro na final do Open dos EUA”, concluiu o organismo regulador, assinalando que o desenho não violou os padrões da imprensa australiana.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.