O fundo tem como objetivo ajudar a "comunidade criativa" com a maior parte do dinheiro destinada a financiar trabalhadores ligados às produções da plataforma atingidos em todo o mundo por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

"Estas pessoas apoiaram a Netflix nos bons momentos, e nós queremos ajudá-los nestes tempos difíceis, principalmente quando os governos ainda estão a tentar planear qual o tipo de suporte económico poderão disponibilizar", disse o diretor de conteúdo, Ted Sarandos, numa publicação online.

A Netflix está no processo de definir detalhadamente como o dinheiro do fundo será distribuído. A companhia de Silicon Valley, no entanto, já se comprometeu a manter os elencos e as equipas de produções suspensas nos seus pagamentos por mais duas semanas.

"Quase todas as produções televisivas e cinematográficas interromperam as suas produções globalmente, deixando centenas de milhares de pessoas sem trabalho", ressalvou Sarandos.

"Isto inclui eletricistas, carpinteiros, motoristas, cabeleireiros, maquilhadores e muito mais. Muitos deles são pagos por horas de trabalho, com contratos que se renovam a cada novo trabalho", acrescentou o diretor de conteúdo.

Cerca de 14 milhões de euros do fundo será destinado para organizações e ONGs que estejam a ajudar esses profissionais da indústria cinematográfica, cujo trabalho foi atingido pela pandemia, em países que tenham uma grande quantidade de produções.

"O que está a acontecer é inédito", considera Sarandos.

"Nós somos tão fortes quanto as pessoas que trabalham conosco, e a Netflix se sente honrada em ajudar em um momento de grande impacto em nossa indústria nesse período desafiador", finalizou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.