10 mortos, 10 desaparecidos e 30 feridos. É este o novo balanço das autoridades colombianas, citadas pelo El País, poucas horas depois do último balanço feito pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, que dava conta de seis vítimas mortais.

“Até agora tivemos a informação de que seis pessoas morreram, três estão no hospital e três foram resgatadas por mergulhadores. Há 122 pessoas vivas, que estão bem, e 31 que foram dadas como desaparecidas”, afirmou o Presidente, que se deslocou para o local do acidente.

Santos comentou que alguns dos 31 desaparecidos (número já reduzido a 10) podem estar com pessoas que os ajudaram no momento do naufrágio.

“Os mergulhadores estão à procura dessas 31 pessoas, mas também é possível que quando o barco se afundou muitas pessoas com embarcações tenham acorrido a resgatá-las, então podem estar com essas pessoas, por isso estamos a criar todo um processo de informação para que nos reportem qualquer pessoa que tenha sido resgatada”, acrescentou.

Vítimas mortais são todas de nacionalidade colombiana

O diretor da Unidade Nacional para a Gestão dos Ricos (UNGRD), Carlos Ivan Marquez, que também se deslocou ao local do acidente, afirmou que os mortos são todos de “nacionalidade colombiana”.

O anterior balanço divulgado pelas autoridades era de nove mortos e 28 desaparecidos.

O “Almirante” afundou-se no domingo à tarde, no lago da barragem El Peñol de Guatapé, a cerca de 68 quilómetros de Medellin.

O Presidente acrescentou que apesar de ser um trabalho difícil, por estar escuro e a água ser muito fria, os mergulhadores vão trabalhar o tempo que for necessário para resgatar as pessoas.

“A operação de resgate continuará toda a noite e esperamos poder transmitir boas notícias”, que apareçam as pessoas resgatadas por terceiros. “Os mergulhadores vão continuar a reportar à medida que a operação avança”, indicou.

O Presidente colombiano descartou a possibilidade de o naufrágio ter sido causado por excesso de passageiros, apesar de não ter sido iniciada a investigação às causas do incidente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.