Em muitas zonas afetadas, os acessos são muito difíceis e as autoridades não recolheram ainda todos os dados. A proteção civil do departamento do Sul regista um balanço de 315 mortos, mas este número não inclui as localidades de Camp Perrin, Les Anglais, Coteaux e Arniquet.

Toda a parte sul do país ficou alagada sob torrentes de água e sujeita a ventos muito violentos, por vezes durante várias horas.

O país está muito vulnerável às intempéries devido à forte desflorestação.

Os ventos e as chuvas inundaram milhares de casas, danificaram escolas, destruíram plantações, empresas, estradas e pontes. Mais de 29 mil casas ficaram destruídas só no sul.

Cerca de 80% dos edifícios de Jérémie, capital do departamento de Grand'Anse (sul), com perto de 30 mil habitantes, foram arrasados, de acordo com Jean-Michel Vigreux, diretor da organização não-governamental (ONG) Care Haiti.

Mais de 21 mil pessoas foram retiradas e 350 mil precisaram de assistência, de acordo com o gabinete de coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU.

Com as inundações, as autoridades receiam um forte aumento dos casos de cólera.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.