“Há uma pessoa morta, que morreu asfixiada”, disse a procuradora dos Direitos Humanos, Raquel Caballero à imprensa, ao chegar à zona do incidente em San Salvador, onde pelo menos outras 50 pessoas ficaram presas e foram resgatadas.

Um dirigente sindical identificou a vítima como Nubia Karina Campos, de 57 anos, que integrava a direção da organização de trabalhadores.

A morte de outra mulher foi confirmada minutos depois pelo Presidente do país, Salvador Sánchez Cerén, em declarações a um canal de notícias, indicando a existência de três pessoas em estado “gravíssimo”, as quais estavam a receber assistência médica.

A maioria dos feridos sofreu queimaduras, contusões e problemas respiratórios. Um dos três feridos com gravidade é uma pessoa que saltou do prédio.

Mais de 30 bombeiros levaram cerca de uma hora e vinte minutos a controlar o fogo e foi necessária a intervenção de três helicópteros das Forças Armadas para resgatar várias pessoas do telhado do edifício com dez andares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.