De acordo com a Associated Press, Erdogan referiu que admite mediar o conflito depois de ter falado ao telefone, separadamente, com o presidente russo, Vladimir Putin e com o chefe de Estado ucraniano, Petro Poroshenko.

O chefe de Estado turco compromete-se a abordar a questão da mediação com Vladimir Putin e com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, à margem da reunião do G20, em Buenos Aires, na Argentina.

A tensão entre a Rússia e a Ucrânia agrava-se desde domingo, altura em que a guarda costeira da Marinha de Guerra russa apresou três embarcações da Armada da Ucrânia, ao largo do território da Crimeia.

A Crimeia foi ocupada e anexada pela Rússia em 2014.

Desconhece-se a posição de Moscovo e de Kiev sobre a proposta da Turquia de mediar eventuais conversações.

Entretanto, o presidente ucraniano pediu à NATO para enviar navios de guerra para o Mar de Azov por causa do estado de tensão entre os dois países.

Petro Poroshenko fez o apelo à Aliança Atlântica durante uma entrevista ao jornal alemão Bild publicada na edição de hoje.

“Temos esperança de que os Estados que compõem a NATO estejam prontos a enviar navios de guerra para o Mar de Azov para garantirem a segurança à Ucrânia”, disse Poroshenko.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.