“Bom telefonema de coordenação com [Antony] Blinken, a presidência polaca da OSCE e [Josep] Borrell sobre a concentração militar da Rússia na e em volta da Ucrânia e as implicações para a segurança europeia”, escreveu Stoltenberg na rede social Twitter.

A conversa representou “um forte sinal de unidade neste momento crítico”, acrescentou o responsável da Aliança Atlântica.

Hoje mesmo, Stoltenberg manifestou o “forte apoio” da NATO à Ucrânia durante uma conversa telefónica com o Presidente daquele país, Volodymyr Zelenski, e assegurou que não comprometerá perante a Rússia “princípios fundamentais”.

Na semana passada, a Rússia participou em diversas reuniões bilaterais com os Estados Unidos, a NATO e a OSCE para explicar o reforço militar que tem levado a cabo junto à fronteira com a Ucrânia.

Moscovo pediu à Aliança Atlântica que desista de qualquer pretensão de continuar a expandir-se perto das suas fronteiras, ao passo que a Aliança deixou claro que esse é um princípio básico para a organização ao qual não vai renunciar.

Após um encontro com o chanceler alemão, Olaf Scholz, Stoltenberg anunciou na terça-feira o envio de convites a representantes da Rússia e dos países aliados para manter reuniões que sirvam para “melhorar as vias de comunicação”.

A NATO insistiu que qualquer nova agressão militar da Rússia à Ucrânia terá um “preço elevado” para Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.