O avião da Vietnam Airlines procedente do Reino Unido pousou no aeroporto de Hanói durante a manhã com 16 corpos a bordo, disse à AFP uma fonte do serviço de segurança.

Os cadáveres foram transportados a bordo de ambulâncias para as suas províncias na região central do Vietname: Nghe An, Ha Tinh e Quang Binh. Os demais 23 corpos devem ser repatriados nos próximos dias.

"Esperámos este momento por muito tempo e vamos organizar o funeral", afirmou Vo Van Binh, que perdeu o filho na tragédia.

Muitas famílias foram obrigadas a recorrer a empréstimos significativos com o governo para pagar o custo da repatriação (1.774 dólares para repatriar apenas as cinzas ou 2.858 dólares para pagar pelo caixão com o corpo).

As autoridades vietnamitas incentivaram as famílias a optar pelas cinzas "para garantir a velocidade, o custo mais baixo e a segurança à saúde". Mas algumas preferiram pagar mais para repatriar os corpos e celebrar um funeral tradicional, uma vez que a cremação é rara na região central do Vietname, de onde procediam a maioria das vítimas.

Várias famílias explicaram à AFP que já estavam endividadas quando pagaram a viagem clandestina dos parentes à Europa e que não têm dinheiro para pagar pelo regresso dos corpos. As 39 pessoas que morreram em outubro no Reino Unido pagaram milhares de dólares a traficantes que garantiram que o camião era o meio de transporte mais seguro, afirmaram as famílias.

A tragédia comoveu o país e expôs os riscos da imigração ilegal para o Reino Unido, um dos principais destinos dos migrantes do país. Muitos migrantes vietnamitas acabam a trabalhar em salões de beleza ou plantações de canábis no Reino Unido.

Na segunda-feira, o motorista do camião, Maurice Robinson, um irlandês de 25 anos, declarou-se culpado por ajudar na imigração ilegal.

Na madrugada de 22 para 23 de outubro os corpos de 39 migrantes foram encontrados num camião frigorífico numa zona industrial de Essex, 30 quilómetros ao leste de Londres.

O contentor que transportava os 31 homens e oito mulheres chegou de navio ao porto de Purfleet, oriundo de Zeebruges, na Bélgica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.