"Hoje, temos conhecimento factual de reservas específicas" para cidades como "Figueira da Foz, Coimbra ou Lisboa", por causa das comemorações do centenário das "aparições" de Fátima e da visita do papa ao santuário, sublinhou o presidente da Turismo Centro, que falava à Lusa no final da cerimónia de abertura do 6.º Congresso Internacional das Cidades-Santuário, que decorre em Ourém, distrito de Santarém.

De acordo com o responsável, Fátima estará "seguramente esgotada", sendo que, num raio de cem quilómetros, nota-se "a influência direta das reservas para Fátima", especificamente para a visita do papa em maio de 2017.

"As pessoas já estão a recorrer a cidades limítrofes, sendo que Lisboa é escolhida porque tem o aeroporto", explanou.

Em Coimbra, concelho a cerca de 90 quilómetros de Fátima, registam-se "muitas reservas", notou, recordando também a "ligação histórica" desta cidade a Fátima, onde irmã Lúcia entrou para a clausura, em 1948, no Carmelo de Santa Teresa, local onde faleceu em 2005.

Para Pedro Machado, 2017 é "um ano de afirmação", não apenas da mensagem e marca de Fátima, mas também "do turismo religioso e cultural".

"Apontamos já as baterias para 2018", sublinhou, esperando que, nesse ano, Portugal, e em particular a região Centro, venham a beneficiar do "holofote gigante que será 2017".

Durante a cerimónia de abertura do congresso, Pedro Machado sublinhou que a visita do papa deverá ser "um dos maiores eventos desta década" para o país.

O presidente da Câmara de Ourém, concelho onde se situa a freguesia de Fátima, frisou que 2017 será um momento para "colocar sementes", defendendo que, para se garantir que os turistas tenham um tempo maior de estada, é necessário "difundir e mostrar rotas de complementaridade".

O líder da autarquia, Paulo Fonseca, destacou ainda que já "há mais de mil jornalistas creditados" para a visita do papa.

O 6.º Congresso Internacional das Cidades-Santuário decorre em Ourém até sábado, contando com a participação de mais de uma dezena de cidades-santuário da Europa e da América.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.