Os clubes chineses em questão foram advertidos para que, caso a situação financeira não fosse cumprida, tendo como data limite o dia 15 de agosto, enfrentariam partidas de suspensão, não só a nível continental, mas também na ‘Chinese Super League’.

Apenas três em 16 clubes da primeira divisão chinesa ficaram de fora da advertência da AFC.

O Guangzhou Evergrande afirmou ter resolvido as suas dívidas em dezembro de 2016 e em janeiro de 2017, tal como o Shanghai SIPG, equipa treinada pelo português André Villas-Boas, que também assegurou ter tudo em ordem.

O Shenhua, outro clube de Xangai, disse ter pago “90%” dos valores reclamados pela AFC.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.