A espera terminou. Depois do draft, da offseason e das tradicionais "novelas" do basquetebol americano, a NBA está de volta.

Este é um guia onde, equipa a equipa, analisamos o que mudou, quais as estrelas e principais jogadores, e quais os melhores e piores cenários para cada uma das 30 organizações que compõem a mais excitante liga de basquetebol do mundo.

Olhamos para o que podem ser os "novos" Los Angeles Lakers, agora que o "King" LeBron James se mudou do Ohio para a California. Olhamos também para como ficam Toronto Raptors e San Antonio Spurs depois da troca que enviou DeMar DeRozan para o Texas e Kawhi Leonard para o Canadá. Falaremos das expetativas em torno dos rookies Trae Young, Luka Doncic e DeAndre Ayton, e de como se poderão sair em Atlanta, Dallas e Phoenix, respetivamente.

Alguém parará os Golden State Warriors na sua caminhada para um terceiro título consecutivo? E no Este, agora órfão de LeBron James, quem assumirá o protagonismo e representará a conferência na final da NBA? Que surpresas nos vai reservar a época? Estas e outras questões estão respondidas (ou lançadas, pelo menos) neste guia ilustrado, onde a participação de todos os fãs do jogo é incentivada: deixem-nos as vossas previsões na caixa de comentários deste artigo.

Bola ao ar: aqui está a nova temporada da NBA.

O que mudou

A equipa continua em modo de reconstrução e libertou-se de tudo o que Mike Budenholzer construiu.

Dennis Schroder foi a última peça a sair da equipa montada pelo agora treinador dos Milwaukee Bucks, que agora aposta tudo no talento do "rookie" Trae Young, que levou os Hawks a abdicar de... Luka Doncic.

A estrela

Trae Young

Cinco inicial

Trae Young, Kent Bazemore, Taurean Prince, John Collins e Dewayne Dedmon

Suplentes notáveis

Jeremy Lin, Vince Carter, Alex Len e Kevin Huerter

Melhor cenário

Trae Young, filho de um antigo basquetebolista que passou pelo FC Porto, confirma o potencial "à la Steph Curry", John Collins e Taurean Prince voltam a mostrar qualidade e consistência, e o conjunto de Atlanta joga um basquetebol de mentalidade defensiva, à imagem do novo treinador Lloyd Pierce.

Pior cenário

Young sente o peso da responsabilidade e falha as previsões dos analistas mais optimistas. Para piorar ainda mais, Doncic faz época de sonho e deixa os fãs dos Hawks à beira de um ataque de nervos.

O que mudou

Gordon Hayward recuperou totalmente da lesão grave que sofreu no primeiro jogo da última temporada e é "reforço" de peso para Brad Stevens.

E os miúdos Jaylen Brown, Jayson Tatum e Terry Rozier, que tiveram que dar o passo em frente por força da ausência de Hayward, tornaram-se homenzinhos.

A estrela

Kyrie Irving

Cinco inicial

Kyrie Irving, Jaylen Brown, Gordon Hayward, Jayson Tatum e Al Horford

Suplentes notáveis

Terry Rozier, Marcus Smart, Marcus Morris e Aron Baynes

Melhor cenário

Num ano em que LeBron James troca o Este pelo Oeste e com a adição do talento de Hayward, o melhor cenário só pode ser a conquista do título.

Pior cenário

Falhar o acesso às Finais da NBA seria sinónimo de uma época perdida, num ano em que LeBron James troca o Este pelo Oeste.

O que mudou

Mais um passo na estratégia do General Manager da equipa, Sean Marks, de olhar para o fim do arco-íris: desenvolver atletas jovens, receber escolhas de primeira ronda de drafts futuros através da absorção de maus contratos e limpar a folha salarial para atacar a "free agency" do Verão de 2019.

A estrela

D'Angelo Russell

Cinco inicial

D'Angelo Russell, Allen Crabbe, DeMarre Carroll, Rondae Hollis-Jefferson e Jarrett Allen

Suplentes notáveis

Spencer Dinwiddie, Caris LeVert, Kenneth Faried e Ed Davis

Melhor cenário

Sejamos honestos. Os responsáveis dos Nets não têm grandes preocupações com resultados. Ainda assim, com a competência do treinador Kenny Atkinson, a formação de Brooklyn pode ambicionar a entrada nos playoffs da Conferência Este.

Pior cenário

A única coisa negativa que pode acontecer é os jovens com mais potencial, como D'Angelo Russell, Rondae Hollis-Jefferson, Jarrett Allen ou Caris LeVert não continuarem a subir degraus na sua evolução individual.

O que mudou

A adição do treinador James Borrego, antigo adjunto de Gregg Popovich nos Spurs, e a obviamente-ligada-a-isso contratação de Tony Parker são as notícias do Verão em Charlotte.

Em ano de fim de contrato de Kemba Walker, os Hornets ganham, em Parker, um base que pode assegurar a posição caso a equipa decida trocar a estrela da companhia.

A estrela

Kemba Walker

Cinco inicial

Kemba Walker, Jeremy Lamb, Nicolas Batum, Marvin Williams e Cody Zeller

Suplentes notáveis

Tony Parker, Michael Kidd-Gilchrist, Bismack Biyombo e Willy Hernangomez

Melhor cenário

Depois de várias épocas falhadas, Borrego e um Kemba a nível All-Star trazem a consistência necessária para os Hornets chegarem aos playoffs. Não se poderá esperar muito mais do que isso e - claro! - que a situação de Kemba traga algo de positivo: renovação do base ou troca por outro jogador que acrescente mais-valia.

Pior cenário

Que aquilo que fique na memória desta época dos Hornets seja, apenas, os equipamentos. [inserir emoji com corações nos olhos]

O que mudou

“Reconstrução” continua a ser a palavra de ordem e o único objectivo duma equipa que está ainda a alguns anos de lutar por alguma coisa.

A meta, para já, é reunir talento e peças e mantiveram um dos seus mais talentosos e promissores atletas (embora com valores discutíveis), Zach LaVine.

Acrescentaram mais um através do draft: Wendell Carter Jr., que pode ser uma das revelações deste draft; e, sem nada a perder, decidiram ainda tentar a sorte com Jabari Parker, que procura reabilitar a sua carreira depois de duas lesões graves nos joelhos.

A estrela

Lauri Markkanen

Cinco inicial

Kris Dunn
, Zach LaVine
, Jabari Parker
, Lauri Markkanen e Robin Lopez

Suplentes notáveis

Justin Holiday
, Bobby Portis
 e Wendell Carter Jr.

Melhor cenário


Numa conferência Este bastante aberta, ir aos playoffs não é de todo impossível. Mas é um objetivo distante e não é, para já, objetivo da equipa. Se desenvolverem os jovens, descobrirem umas pérolas e as apostas em LaVine e Parker forem ganhas, já será uma época positiva.

Pior cenário

Não há muito a perder. O pior que lhes pode acontecer é Parker falhar e LaVine não justificar o contrato que lhe deram. Mas não podem descer mais.

O que mudou

Um tal de LeBron James abandonou a equipa. O que é coisa para fazer alguma diferença. É coisa para interromper a série de idas às Finais e para fazer os Cavaliers descer alguns degraus na hierarquia da liga.

Podiam ter optado pela reconstrução total, mas preferiram renovar com Kevin Love (120 milhões por 4 anos!) e entregar-lhe as chaves da equipa. É coisa para voltarmos a ter o Kevin Love dos grandes números e a não ir aos playoffs. É coisa para os Cavs se tornarem os Wolves do Este, portanto.

A reconstrução podia (devia?) ter começado agora. Mas vai ser adiada até limparem os restos da equipa anterior.

A estrela

Kevin Love

Cinco inicial

George Hill
, JR Smith
, Rodney Hood
, Kevin Love e 
Tristan Thompson

Suplentes notáveis

Colin Sexton
, Jordan Clarkson
, Kyle Korver
 e Larry Nance Jr.

Melhor cenário

Esta é uma equipa que andou a manter-se à tona durante grande parte da temporada passada e terminou em 4.º lugar da conferência. Com LeBron James. Sem ele, ir aos playoffs já será um sucesso.

Pior cenário

Falharem os playoffs e confirmar-se tudo o que escrevemos acima.

O que mudou

Esta ainda é (e será até se retirar) a equipa de Dirk Nowitzki. Mas encontraram o seu sucessor no draft deste ano.

O prodígio esloveno Luka Doncic promete deixar os fãs americanos deslumbrados com o seu talento e deixar algumas equipas arrependidas por não o terem escolhido. Se juntarmos Doncic a Dennis Smith Jr., os Mavs têm o seu backcourt do futuro. E com a contratação de DeAndre Jordan, vão tentar também fazer alguma coisa no imediato. Não é fácil esse equilíbrio entre presente e futuro, mas os texanos vão tentar. Com um pé no presente e um olho no futuro.

A estrela

Dirk Nowitzki

Cinco inicial

Dennis Smith Jr., Luka Doncic
, Harrison Barnes
, Dirk Nowitzki
 e DeAndre Jordan

Suplentes notáveis

Wes Matthews e JJ Barea

Melhor cenário

Ir aos playoffs na (este ano ainda mais) forte conferência Oeste será uma vitória.

Pior cenário

O pior que pode acontecer é não irem aos playoffs e continuarem a reconstrução da equipa. O que não é mau. É uma equipa que, como dissemos, aponta para o futuro e o que vier agora é bónus.

O que mudou

No Colorado, foi uma offseason para arrumar a casa. Ofereceram contratos chorudos a Nikola Jokic e Will Barton, despacharam Kenneth Faried, Darrell Arthur e Wilson Chandler para ficar abaixo da luxury tax e fizeram duas apostas de baixo risco e (possível) alta recompensa: selecionaram Michael Porter Jr. na 14.ª posição do draft e contrataram Isaiah Thomas.

Apesar das lesões e da incerteza que rodeia o primeiro, um jogador com aquele potencial disponível naquela posição foi uma escolha fácil e Thomas volta a um sítio familiar: o de underdog que tem de provar o seu valor.

A palavra de ordem foi manter o núcleo do plantel que terminou (bem) a temporada passada e limar arestas.

A estrela

Nikola Jokic

Cinco inicial

Jamal Murray
, Gary Harris
, Will Barton
, Paul Milsap
 e Nikola Jokic

Suplentes notáveis

Isaiah Thomas
, Trey Lyles
, Mason Plumlee
 e Michael Porter Jr.

Melhor cenário

Uma equipa que, à imagem da sua estrela, tem um potencial ofensivo tremendo, mas uma defesa muito questionável. Conseguirão, tranquilamente, arrancar mais de 40 vitórias na temporada regular e ir aos playoffs. Poderão, com uma melhoria defensiva, terminar nos 4 primeiros lugares da conferência e chegar a uma segunda ronda dos playoffs.

Pior cenário

Falharem as apostas em Porter e Thomas, falharem os playoffs e terem de repensar o plano.

O que mudou

Depois de 4 anos de desilusão, os Pistons decidiram mudar de liderança. Stan Van Gundy foi dispensado e para o seu lugar entra o Treinador do Ano, Dwayne Casey.

Despedido pelos Toronto Raptors dias antes de ter sido anunciado como Treinador do Ano, Casey entrará nesta época com vontade de mostrar o erro que fizeram. Mas a missão não é fácil.
O plantel que lhe calha em sorte foi construído por Stan Van Gundy e é praticamente o mesmo do ano passado.

Sem espaço salarial e sem escolhas no draft, não tinham muitas opções para reforçar a equipa, por isso vão tentar fazer melhor com o que têm. E esperar que Casey consiga retirar mais deste grupo do que Van Gundy conseguiu.

A estrela

Blake Griffin

Cinco inicial

Reggie Jackson, 
Reggie Bullock
, Stanley Johnson
, Blake Griffin
 e Andre Drummond

Suplentes notáveis

Ish Smith
, Luke Kennard
, Henry Ellenson e 
Zaza Pachulia


Melhor cenário

Depois de três épocas sem ir aos playoffs, uma ida à segunda fase já será uma vitória.

Pior cenário

Continuar o calvário e voltarem a ver os playoffs na televisão.

O que mudou

A melhor equipa da NBA reforçou-se com aquele que muitos consideram o melhor poste da NBA, DeMarcus Cousins, a preço de saldo.

É verdade que está lesionado e, na pior das hipóteses, só se junta à equipa para atacar os playoffs. Ainda assim, faz esquecer as saídas de David West, JaVale McGee, Zaza Pachulia e Nick Young.

A estrela

Steph Curry. Sorry, Kevin Durant

Cinco inicial

Steph Curry, Klay Thompson, Kevin Durant, Draymond Green e Jordan Bell

Suplentes notáveis

DeMarcus Cousins (lesionado), Andre Iguodala, Shaun Livingston, Jonas Jerebko

Melhor cenário

O "three-peat" e o quarto título em cinco anos é o cenário minimamente admissível. Melhor que isso, e sabendo que os Warriors não vão arriscar uma lesão durante a fase regular para buscar um qualquer recorde, é a turma de Oakland fazer uns playoffs perfeitos: 16-0.

Pior cenário

Tudo o que não seja um título em junho.

O que mudou

Muita coisa. Para quem acreditar na máxima de que em equipa vencedora não se mexe, se calhar foram coisas a mais para um conjunto que teve tanto sucesso na temporada passada. Mas Daryl Morey, o diretor geral da equipa, não é conhecido por ser conservador e tenta sempre melhorar as suas equipas.

A grande novidade é a chegada de Carmelo Anthony para colmatar as saídas de Trevor Ariza e Luc Mbah a Moute. Ganham ainda mais poder ofensivo, mas perdem defesa.

Vamos ver se mudaram de mais ou se, afinal, não mudaram o suficiente para destronar os Warriors.

A estrela

James Harden

Cinco inicial

Chris Paul
, James Harden, 
James Ennis, 
Carmelo Anthony
 e Clint Capela

Suplentes notáveis

Eric Gordon
, PJ Tucker
, Michael Carter-Williams
, Gerald Green
 e Nené Hilário

Melhor cenário

Conquistar o título. É essa a meta que eles próprios definem e qualquer coisa menos do que isso será considerado um fracasso por qualquer pessoa da organização.

Pior cenário

Não chegar sequer às finais de conferência e não ter uma nova oportunidade de tentar destronar os Warriors seria um desastre.

O que mudou

Os Pacers foram uma das equipa-surpresa de 2017-18 e reforçaram-se para este ano. Tyreke Evans, depois de uma grande temporada em Memphis, chega como upgrade a Lance Stephenson e, se se mantiver saudável, é candidato a Sexto Homem do Ano. Doug McDermott é mais uma opção ofensiva e mais um atirador para uma equipa que esteve no top 10 da liga na última época.

No papel, parece ter sido um bom Verão para os lados de Indiana, mas tanto Victor Oladipo como os Pacers têm o mesmo desafio: mostrar que a época passada não foi um fogacho, mas sim o início de um caso sério.

A estrela

Victor Oladipo

Cinco inicial

Darren Collison, 
Victor Oladipo
, Bojan Bogdanovic, 
Thaddeus Young
 e Myles Turner

Suplentes notáveis

Cory Joseph, Tyreke Evans
, Doug McDermott
 e Domantas Sabonis

Melhor cenário

Acabar nos 4 primeiros do Este, conquistar vantagem-casa e intrometer-se na luta entre Celtics, Sixers e Raptors.

Pior cenário

Voltarem a cair na primeira ronda dos playoffs.

O que mudou

A saída de DeAndre Jordan (que se seguiu às de Blake Griffin e Chris Paul) activou o modo reconstrução nos Clippers.

A formação de Los Angeles substitui DJ por Marcin Gortat, trouxe de volta Luc Mbah a Moute e escolheu dois "rookies" a quem é apontado um futuro brilhante:Shai Gilgeous-Alexander e Jerome Robinson.

A estrela

Tobias Harris

Cinco inicial

Patrick Beverly, Avery Bradley, Danilo Gallinari, Tobias Harris e Marcin Gortat

Suplentes notáveis

Lou Williams, Luc Mbah a Moute, Montrezl Harrell e Shai Gilgeous-Alexander

Melhor cenário

Doc Rivers consegue pegar numa turma sem grandes estrelas e torná-la numa equipa de playoffs. Para isso, Avery Bradley e Patrick Beverly têm que voltar ao ser melhor nível e ajudar Tobias Harris a lançar a candidatura para o All-Star Game e Lou Williams a ser novamente Sixth Man of the Year.

Pior cenário

Os lesionados regressam a meio gás e os "rookies" não têm bagagem suficiente para carregar a equipa às costas. E os Clippers falham os playoffs, voltando a ser a pior equipa de L.A..

O que mudou

O melhor jogador do mundo fartou-se de brincar na piscina das crianças (conferência Este) e mergulhou para as águas profundas do Oeste.

Atrás de LeBron vieram Rajon Rondo, Lance Stephenson, JaVale McGee, Michael Beasley e a esperança de novos "banners" para o tecto do Staples Center.

A estrela

LeBron James

Cinco inicial

Rajon Rondo, Kentavious Caldwell-Pope, Brandon Ingram, LeBron James e JaVale McGee

Suplentes notáveis

Kyle Kuzma, Lonzo Ball, Josh Hart e Lance Stephenson

Melhor cenário

O máximo que os Lakers podem almejar é a chegada aos playoffs e, eventualmente, numa das primeiras quatro posições do Oeste.

Se a isto se juntar o desenvolvimento de Brandon Ingram, Kyle Kuzma, Lonzo Ball e Josh Hart em jogadores sólidos, as bases para a próxima temporada - em que os Lakers vão atacar mais uma superestrela na "free agency" - ficam lançadas.

Pior cenário

A falta de bons lançadores torna o esforço de LeBron impotente e os playoffs não passam de uma miragem... mais uma vez.

O que mudou

Tal como os Mavericks, estão entre o presente e o futuro. Mas com duas diferenças fundamentais: têm Marc Gasol e Mike Conley ainda no seu auge (ou perto) e não têm tanto talento jovem para desenvolver.

Estavam perante um dilema: entrar em modo de reconstrução total ou tentar (re)construir à volta de Conley e Gasol. Mas não fizeram muito nesta offseason para sair desse dilema.

A grande notícia é a contratação de um novo treinador, JR Bickerstaff, que vai tentar fazer regressar o conjunto ao lote de equipas de playoff.

A estrela

Mike Conley



Cinco inicial

Mike Conley, 
Wayne Selden, 
Chandler Parsons
, JaMychal Green e 
Marc Gasol

Suplentes notáveis

Kyle Anderson
, Jaren Jackson Jr.
, Garrett Temple
 e Omri Casspi

Melhor cenário

Ir aos playoffs (se é para ser otimista, é para ser otimista)

Pior cenário

Ir aos playoffs (e não ganharem mais uma escolha alta no draft, continuando no mesmo limbo em que se encontram)

O que mudou

Pouco ou nada. Ainda. Os Heat continuam a ser falados como uma das equipas com mais interesse em Jimmy Butler.

A estrela

Dwyane Wade

Cinco inicial

Goran Dragic, Josh Richardson, Justise Winslow, James Johnson e Hassan Whiteside

Suplentes notáveis

Dwyane Wade, Tyler Johnson, Bam Adebayo e Dion Waiters

Melhor cenário

Com um treinador capaz de fazer omeletes sem ovos em Erik Spoelstra, os playoffs são o mínimo aceitável para os Heat, pelo que o melhor cenário só pode ser a conquista do factor casa na primeira ronda da fase a eliminar da temporada.

Pior cenário

Hassan Whiteside volta a falar mais do que deve e jogar menos do que pode, provando que os mais de 25 milhões de dólares de vencimento anual rivalizam com os 19 milhões de Tyler Johnson como um dos piores contratos da liga.

O que mudou

Este ano é que é? Há anos que prometem dar o salto e entrar na elite da conferência, mas até agora a equipa não acompanha a ascensão da sua estrela. Vão para o quarto treinador em cinco anos. Jason Kidd era suposto ser o treinador que ia fazê-lo, mas acabou despedido depois de um início de temporada muito abaixo das expetativas.

Agora, a esperança é que o novo treinador, Mike Budenholzer, consiga maximizar o potencial deste plantel como fez em Atlanta.

Um plantel que sofreu poucas mudanças - Brook Lopez e Ersan Ilyasova são as novidades.

A estrela

Giannis Antetokounmpo

Cinco inicial

Eric Bledsoe
, Malcolm Brogdon
, Kris Middleton
, Giannis Antetokounmpo
 e Brook Lopez

Suplentes notáveis

Matthew Dellavedova
m Ersan Ilyasova
, John Henson e 
Thon Maker

M
elhor cenário

Ficar nos 4 primeiros e chegar às finais de conferência. Tal como os Pacers, o objectivo é entrar na luta Celtics/Sixers/Raptors

Pior cenário

Voltar a ficar pela primeira ronda dos playoffs e continuar a desperdiçar os melhores anos de Giannis (continuando também a testar a sua paciência).

O que mudou

Para já, nada. Mas ainda pode mudar. Depois de terem ido aos playoffs pela primeira vez desde 2004 e quando parecia que iam regressar à relevância, eis que Jimmy Butler lançou uma bomba: exigiu ser trocado (algo que, a um dia do início da temporada regular, ainda não aconteceu) e lançou a equipa no caos e na incerteza.

Parece que, afinal, não mudou nada: vão continuar a ser uma das equipas mais disfuncionais e pior sucedidas da liga.

A estrela

Karl-Anthony Towns

Cinco inicial

Jeff Teague
, Jimmy Butler, 
Andrew Wiggins, Taj Gibson
 e Karl-Anthony Towns



Suplentes notáveis

Derrick Rose, 
Luol Deng
, Anthony Tolliver
 e Gorgui Dieng


Melhor cenário

Jimmy Butler chegar à conclusão que, afinal, adora jogar com Towns e Wiggins, voltar atrás com o pedido de troca e ficarem todos amigos.

Pior cenário

Trocar Jimmy Butler por trocos e voltar a assistir aos playoffs em casa.

O que mudou

Perderam (ou não quiseram manter) DeMarcus Cousins. Mas já tinham jogado bem sem ele nos playoffs e o risco de lhe oferecer um contrato máximo (ou perto disso) era grande demais.

Perderam (ou não quiseram manter) Rajon Rondo. Mas arranjaram umas alternativas mais baratas no mercado de segunda mão: Elfryd Payton, Julius Randle e Jahlil Okafor. Três projetos de recuperação e três jogadores com algo a provar.

Anthony Davis continua a ter de carregar a equipa, mas não reuniram um mau elenco de suporte.


A estrela

Anthony Davis

Cinco inicial

Jrue Holiday, 
E’Twaun Moore, Darius Miller
, Nikola Mirotic
 e Anthony Davis

Suplentes notáveis

Elfryd Payton
, Solomon Hill, 
Julius Randle
 e Jahlil Okafor

Melhor cenário

Depois de, no ano passado, terem chegado à segunda ronda dos playoffs, este ano tentam fazer melhor do que isso. Qualquer coisa acima disso será positivo e um sinal para Anthony Davis que estão a caminhar na direcção certa.

Pior cenário

Falhar os playoffs.

O que mudou

Regressou o hype a Nova Iorque, ainda que moderado.

O novo treinador David Fizdale, os "rookies" Kevin Knox e Mitchell Robinson, e o regresso de Porzingis de lesão dão (algum) ânimo aos adeptos dos Knicks, mas a grande aposta da equipa da "Big Apple" é mesmo o Verão de 2019.

A estrela

Kristaps Porzingis

Cinco inicial

Frank Ntilikina, Courtney Lee, Tim Hardaway Jr., Kevin Knox e Enes Kanter

Suplentes notáveis

Kristaps Portingis (lesionado), Emmanuel Mudiay, Mario Hezonja e Mitchell Robinson

Melhor cenário

Qualquer coisa como a recuperação total de Porzingis e o eventual regresso do unicórnio letão ainda antes do final de 2018. Se os "rookies" Knox e Robinson cumprirem as expetativas e Fizdale for bem aceite pela imprensa de Nova Iorque, os Knicks até podem sonhar com os playoffs.

Pior cenário

Fizdale não acerta na rotação dos bases Ntilikina, Mudiay e Trey Burke ou os "rookies" não aproveitam a ausência prolongada de Porzingis para progredir.

O que mudou

“Senhoras e senhores, meninos e meninas, uma salva de palmas para o Incrível Presti: Primeiro, o Incrível Presti vai deixar-vos boquiabertos ao convencer a super-estrela Paul George, que todos davam como certo nos Lakers, a renovar. De seguida, o mago do Midwest vai encontrar alguém para ficar com o contrato de Carmelo Anthony e ainda receber em troca um grande reforço para o ponto fraco da equipa, o banco.”

Não foi magia, foi mais uma offseason do diretor geral Sam Presti, que mantém esta equipa de um dos mais pequenos mercados da liga na luta pelos primeiros lugares.

A estrela

Russell Westbrook

Cinco inicial

Russell Westbrook
, Andre Roberson
, Paul George
, Jerami Grant e 
Steven Adams

Suplentes notáveis

Dennis Schroder
 e Nerlens Noel

Melhor cenário

Westbrook faz a terceira temporada consecutiva com média de triplo-duplo, terminam nos 4 primeiros, não desiludem nos playoffs e vão até às Finais de conferência, onde dão luta aos Golden State Warriors.

Pior cenário

Westbrook faz a terceira temporada consecutiva com média de triplo-duplo, terminam nos 4 primeiros, voltam a desiludir nos playoffs e a ser eliminados na primeira ronda.

O que mudou

Apesar de ter falhado parte da última época devido a problemas de saúde, Steve Clifford foi a aposta dos Magic para ultrapassar a decepção chamada Frank Vogel.

Com Aaron Gordon a melhorar a olhos vistos e com a escolha do promissor Mo Bamba no draft, esta época poderá ser de viragem para algo positivo.

A estrela

Aaron Gordon

Cinco inicial

D.J. Augustin, Evan Fournier, Jonathon Simmons, Aaron Gordon e Nikola Vucevic

Suplentes notáveis

Terrence Ross, Mo Bamba, Jerian Grant e Jonathan Isaac

Melhor cenário

Gordon, Bamba e Isaac mostram que podem jogar juntos, em ambos os lados do campo, e retiram de Fournier e Vucevic a pressão de terem que ser as únicas referências ofensivas da equipa da Flórida. Não há-de chegar para os playoffs, mas planta uma semente de esperança no futuro próximo.

Pior cenário

Bamba revela dificuldades em transferir o seu jogo para a liga, depois de apenas um ano na universidade, e Gordon não dá sequência à boa época ao nível do lançamento exterior, adiando novamente o início da reconstrução dos Magic.

O que mudou

Elton Brand substituiu Bryan Colangelo como GM e adicionaram um extremo subvalorizado em Wilson Chandler, para além do base Markelle Fultz ter aparentemente ultrapassado o estranho problema físico que o impediu de jogar grande parte da temporada.

A estrela

Joel Embiid

Cinco inicial

Ben Simmons, Markelle Fultz, Robert Covington, Dario Saric e Joel Embiid

Suplentes notáveis

J.J. Redick, Wilson Chandler, T.J. McConnell e Amir Johnson

Melhor cenário

Se Wilson Chandler e Markelle Fultz fizerem esquecer as saídas de Ersan Ilyasova e Marco Belinelli, os 76ers podem chegar longe nos playoffs e, apesar de parecerem estar um passo atrás dos Celtics e dos Raptors, pelo menos no papel, chegam às Finais.

Pior cenário

O "vírus" das lesões graves continua a assombrar o conjunto de Philadelphia e os "DNP Injury" aparecem demasiadas vezes nas fichas de jogo da equipa.

O que mudou

DeAndre Ayton, a 1.ª escolha do draft, junta-se a Devin Booker, Josh Jackson e T.J. Warren para formar um dos núcleos com mais potencial na liga.

E a aposta em Igor Kokoskov, o primeiro treinador europeu a assumir o comando de uma equipa da NBA e especialista em desenvolvimento de jogadores, parece encaixar na perfeição na formação do Arizona.

A estrela

Devin Booker

Cinco inicial

Devin Booker, Josh Jackson, T.J. Warren, Ryan Anderson e DeAndre Ayton

Suplentes notáveis

Trevor Ariza, Dragan Bender, Tyson Chandler e Elie Okobo

Melhor cenário

Ayton ganha o prémio de Rookie of the Year e Booker chega ao All-Star. Falar de objetivos colectivos é tempo perdido para os Suns, portanto o melhor que pode acontecer-lhes é mesmo o desenvolvimento individual dos miúdos.

Pior cenário

Ayton fica mais conhecido pela má prestação no meio-campo defensivo e Booker tem dificuldades em recuperar o lançamento após a cirurgia à mão direita, atrasando o desenvolvimento do grupo às ordens de Kokoskov.

O que mudou

Muito pouco. O que não sabemos se é bom ou mau. Depois de terminar em terceiro na temporada regular, deixaram muito a desejar nos playoffs, onde foram varridos pelos Pelicans. Essa série pode ter sido apenas um percalço e terem feito bem ao manterem-se fiéis ao plano. Ou podem ter ignorado os sinais de alerta de um plantel desequilibrado e terem um duro despertar pela frente.

Num ano em que alguns dos rivais (Jazz, Thunder, Lakers) deverão melhorar, ficar (mais ou menos) na mesma pode não ter sido o melhor plano.

A estrela

Damian Lillard

Cinco inicial

Damian Lillard
, C.J. McCollum
, Moe Harkless
, Al-Farouq Aminu
 e Jusuf Nurkic

Suplentes notáveis

Evan Turner
, Seth Curry
 e Nik Stauskas

Melhor cenário

Repetir a temporada regular passada e, desta vez, não desiludir nos playoffs. Chegar à segunda ronda é realista, ir às Finais de conferência aquilo com que podem sonhar.

Pior cenário

Confirmarem-se os sinais de alerta, revelarem-se uma equipa apenas para a temporada regular e voltarem a ficar pela primeira ronda.

O que mudou

Marvin Bagley era a peça que faltava no cinco às ordens de Dave Joerger. É um cinco recheado de potencial, algum talento e muita juventude.

Não deixarão de ser uma das equipas com um dos piores registos da liga norte-americana, mas a chegada de Bagley marca um ponto importante no ressurgimento dos Kings.

A estrela

De'Aaron Fox

Cinco inicial

De'Aaron Fox, Buddy Hield, Justin Jackson, Marvin Bagley e Willie Cauley-Stein

Suplentes notáveis

Bogdan Bogdanovic, Zach Randolph, Skal Labissiere e Kosta Koufos

Melhor cenário

Se Bagley jogar o suficiente para ser eleito Rookie of the Year, à frente de DeAndre Ayton e Luka Doncic, entre outros, os Kings podem tornar-se atractivos para jogadores veteranos de qualidade em anos futuros.

Mais ainda se Fox, Hield, Jackson, Cauley-Stein, Bogdanovic e Labissiere estiverem todos na mesma página.

Pior cenário

A falta de um veterano de referência pode fazer-se sentir e a equipa sentir-se orfã de uma liderança que, nesta altura, os miúdos ainda não podem dar. E os resultados estarão à vista.

O que mudou

Na offseason, mais coisas do que os fãs dos Spurs gostariam. Manu Ginobili arrumou as botas, Tony Parker mudou-se para Charlotte e os fãs despediram-se dessa geração de ouro dos Spurs.

E despediram-se também daquele que julgavam ser o sucessor dessa geração. Depois de todo o drama da temporada passada e depois de esgotadas as possibilidades de reatamento, Kawhi Leonard foi trocado para os Toronto Raptors, com a equipa de San Antonio a receber DeMar DeRozan (e Jakob Poetl).

Na época, pode mudar algo que se mantém inalterado desde o século passado: este pode ser o ano em que termina a série de idas consecutivas aos playoffs para os Spurs.

A estrela

DeMar DeRozan

Cinco inicial

Patty Mills
, DeMar DeRozan
, Rudy Gay
, LaMarcus Aldridge
 e Pau Gasol

Suplentes notáveis

Dejounte Murray (lesionado), 
Bryn Forbes
, Marco Belinelli
 e Davis Bertans

Melhor cenário

Enquanto tiverem o melhor treinador da liga, ir aos playoffs é um objetivo possível. E Gregg Popovich já levou o grupo retalhado do ano passado lá, por isso, é possível.

Pior cenário

Mas mesmo os poderes de Gregg Popovich têm limites e, com a conferência Oeste ainda mais forte e com as lesões que os Spurs já tiveram na pré-época, este pode ser finalmente o ano em que acaba a série de idas aos playoffs mais longa da história da liga.

O que mudou

A cara da equipa e o treinador. Saiu DeMar DeRozan, chegou Kawhi Leonard. O ex-Spurs é uma aposta de risco, uma vez que termina contrato no final da temporada e falhou quase toda a temporada anterior devido a lesão, mas era um risco que os canadianos tinham que correr.

Também saiu Dwane Casey, que acabaria por ser eleito Treinador do Ano.

A estrela

Kawhi Leonard

Cinco inicial

Kyle Lowry, Danny Green, Kawhi Leonard, Serge Ibaka e Jonas Valanciunas

Suplentes notáveis

Fred VanVleet, C.J. Miles, O.G. Anunoby e Greg Monroe

Melhor cenário

Kawhi Leonard prova que a aposta de Masai Ujiri, GM dos Raptors, foi acertada e volta a ser mais falado pelo que faz dentro de campo do que pela sua gargalhada que se transformou em meme. O extremo lidera os canadianos às Finais e decide renovar contrato.

Pior cenário

Continuam os problemas físicos de Kawhi, Fred VanVleet estagna o seu desenvolvimento, os Raptors terminam atrás de Celtics e 76ers na conferência Este e falham o acesso à final de conferência.

O que mudou

Depois da temporada passada ter corrido tão bem (e tão melhor do que esperavam), a aposta é na continuidade e no desenvolvimento do plantel que tão boa conta de si deu.

Os Jazz foram uma das melhores equipas da liga na segunda metade da temporada e não mexeram na receita. Acrescentaram apenas, através do draft, um dos mais temperamentais (chamemos-lhe assim, para sermos simpáticos) jogadores da colheita deste ano, o polémico, mas talentoso, Grayson Allen. Que, se controlar as suas emoções, tem potencial para ajudar esta equipa.

A estrela

Donovan Mitchell

Cinco inicial

Ricky Rubio
, Donovan Mitchell
, Joe Ingles
, Derrick Favors
 e Rudy Gobert

Suplentes notáveis

Dante Exum
, Alec Burks
, Jae Crowder
 e Grayson Allen

Melhor cenário

Subir mais um degrau do que no ano passado e chegar às Finais de conferência.

Pior cenário

Não surpreenderem ninguém este ano e a temporada passada revelar-se isso mesmo: uma surpresa.

O que mudou

A chegada de Dwight Howard fez as manchetes na capital norte-americana, mas há dúvidas se o poste alguma vez voltará a brilhar como o fez em Orlando ou se continua a colecionar más recordações (e camisolas de equipas diferentes) pela liga.

As contratações de Austin Rivers e Jeff Green dão mais profundidade a um banco que era muito curto.

A estrela

John Wall

Cinco inicial

John Wall, Bradley Beal, Otto Porter Jr., Markieff Morris e Dwight Howard

Suplentes notáveis

Kelly Oubre, Austin Rivers, Jeff Green e Ian Mahinmi

Melhor cenário

Se John Wall e Bradley Beal forem capazes de coabitar no "backcourt" e Dwight Howard encaixar no sistema dos Wizards que tanto insiste nos bloqueios diretos, a equipa orientada por Scott Brooks pode entrar na luta pelos quatro primeiros lugares da conferência Este.

Pior cenário

Os problemas de balneário, que John Wall tentou disfarçar com a oferta de Rolex aos colegas no Natal, podem ameaçar uma equipa que tem tanto de talento como de egos. Se os egos levarem a melhor...


Reveje a antevisão da nova temporada da NBA no Facebook da SAPO24, com Ricardo Brito Reis e Márcio Martins.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.