“A Comissão concluiu que, embora tanto a Cimpor Portugal como a OYAK sejam ativas na indústria cimenteira, a operação proposta não suscita inquietações ao nível da concorrência”, uma vez que “as duas empresas não estão ativas nos mesmos mercados geográficos”, anunciou hoje o executivo comunitário.

No final de outubro do ano passado, a Cimpor — que era detida pela brasileira Camargo Corrêa — assinou um contrato com o OYAK para a venda de todos os ativos que compõem a Unidade de Negócio de Portugal e Cabo Verde da cimenteira.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.