“Estamos a programar uma Feira do Livro em torno deste escritor”, disse Miguel Gouveia, indicando que o evento vai decorrer entre 12 e 21 de novembro, período que abarca a data do nascimento de José Saramago, 16 de novembro.

A filha do escritor, Violante Saramago Matos, será a curadora da feira e vai participar no debate com Pilar del Rio e Carlos Reis, responsável pelas comemorações do centenário, que se assinala em 2022.

José Saramago (1922 – 2010) foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1998 e também recebeu o Prémio Camões, em 1995, o mais importante atribuído a escritores de língua portuguesa.

“Temos todos os motivos para estar confiantes que teremos uma feira do livro excecional”, afirmou Miguel Gouveia, numa cerimónia na Câmara Municipal do Funchal, em que Violante Saramago Matos entregou ao município um exemplar de cada obra do pai, editada pela Porto Editora.

O “Ensaio sobre a Cegueira” e “A Caverna” foram os livros escolhidos para simbolizar a doação, porque, conforme realçou, continuam a traduzir o estado atual do mundo.

A curadora da Feira do Livro do Funchal disse, por outro lado, que assume a função com o “sentimento de uma enorme responsabilidade”, considerando que a tarefa lhe vai “exigir muito” em termos emocionais.

“Não se trata de um escritor qualquer, não se trata só de um prémio Nobel, mas trata-se do meu pai”, disse. E reforçou: “Provavelmente vou chorar muito, algures pelo caminho.”

A Câmara Municipal do Funchal prevê investir 80 mil euros na organização da Feira do Livro, que este ano regressa aos moldes tradicionais, na Avenida Arriaga, no centro da cidade, com o Teatro Municipal Baltazar Dias a servir de palco para eventos paralelos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.