Em causa estão dois crimes de falsificação ou contrafação de documentos em concursos para a Câmara de Lisboa em 2016 e 2017 — nomeadamente sobre a sua experiência profissional e a média com que concluiu a licenciatura.

Esta não é é a primeira vez que a ex-secretária-geral da Juventude Socialista se vê envolvida num caso de divulgação de dados falsos sobre o seu currículo.

"Aguardo, como toda a disponibilidade, que o MP me notifique para prestar todos os esclarecimentos, assim como conhecer em detalhe o processo", disse a deputada ao Público.

No entanto, Maria Begonha garantiu à publicação que “nunca” participou “em qualquer concurso para um cargo público” e que apenas foi escolhida para assessorar Duarte Cordeiro, atual secretário de Estado, quando este era vice-presidente do município da capital.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.