"O mundo é um lugar incerto e temos de preparar-nos para enfrentar qualquer adversário que possa surgir. Depois da queda da União Soviética e com o fim da Guerra Fria tivemos o que chamaria 'um dividendo de paz'. As pessoas sentiram-se mais seguras e pararam de investir tanto no aparelho de defesa. Isso mudou. Vemos uma China a levantar-se, a Rússia a ressurgir, vemos fundamentalismos extremistas. Há muitas ameaças contra as quais temos de estar preparados para nos defender", disse o Brigadeiro General, Jason Bohm.

O responsável do contingente internacional do Comando de Apoio e Projeção de Forças NATO (STRIKFORNATO), sedeado em Oeiras, falava hoje, no porto de Lisboa, a bordo do navio de comando americano USS Mount Whitney, que irá integrar o maior exercício militar que a Aliança Atlântica realiza desde 2002.

O Trident Juncture 2018 decorrerá na Noruega, de 25 de outubro a 7 de novembro, e o USS Mount Whitney acolherá um dos dois comandos marítimos a participar no exercício, sendo o único com a responsabilidade de comandar as forças navais e anfíbias norte-americanas.

O navio atracou no porto de Lisboa para embarcar os cerca de 200 militares de diversas nacionalidades da STRIKFORNATO, incluindo nove portugueses dos três ramos das Forças Armadas.

A partida rumo à Noruega, com paragem prevista em Reiquiavique, Islândia, chegou a estar prevista para hoje, mas as condições adversas do mar adiaram a saída do navio até nova indicação.

No exercício, que terá lugar na Noruega e áreas circundantes do Atlântico Norte, Mar Báltico, Finlândia e Suécia, participam forças aéreas, marítimas, terrestres, anfíbias e de operações especiais, num total de 45 mil efetivos de 31 países aliados e parceiros da NATO, cerca de 150 aeronaves, 60 navios e submarinos e mais de 10 mil veículos.

Depois de no ano passado, os principais exercícios da NATO terem decorrido no Mediterrâneo, as condições "desafiantes" em termos de clima e de terreno contribuíram para a escolha da Noruega para acolher o exercício.

O Comando de Apoio e Projeção de Forças NATO (na sigla em inglês, STRIKFORNATO) é uma organização da estrutura de Forças NATO, fundada sob um Memorando de Entendimento, assinado por 12 nações aliadas: Alemanha, Espanha, França, Grécia, Holanda, Itália, Noruega, Polónia, Portugal, Reino Unido, Turquia e Estados Unidos da América.

A STRIKFORNATO tem como missão disponibilizar um quartel-general, conjunto, mas predominantemente marítimo, para planear, comandar e controlar operações marítimas, bem como comandar e controlar a componente marítima da defesa antimíssil da Europa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.