• O incêndio que começou no sábado em Pedrógão Grande foi dominado esta quarta-feira, 21 de junho, informou o comandante operacional Vítor Vaz Pinto
  • No primeiro ponto de situação desta quinta-feira, 22 de junho, por volta das 08h00, o comandante operacional da Proteção Civil Carlos Luís Tavares informou que o incêndio em Góis foi considerado dominado às 7h41. Todavia, considerando as temperaturas elevadas, é possível que existam reativações ao longo do dia.

  • Os incêndios de Góis e Pedrógão Grande, que deflagraram este sábado, provocaram mais de 200 feridos, dos quais sete graves. Não se registaram alterações no número de vítimas mortais, 64.
  • No site da Proteção Civil pode saber quantas ocorrências estão em curso e em que fase se encontram, assim como o número de operacionais e meios destacados.
  • Na quarta-feira, dia 21 de junho, o Instituto Nacional de Medicina Legal concluiu todas as autópsias aos cadáveres recolhidos durante a tragédia de Pedrógão Grande, embora alguns desses corpos estejam ainda por identificar.

  • Precisa de informações sobre o incêndio em Pedrógão Grande? Ligue para a linha de Informação Pública: 800 246 246.
  • Os meios de combate previstos para o período mais crítico em incêndios florestais, que devia começar a 01 de julho, estão todos no terreno. Os meios da fase ‘Charlie’ envolvem 9.740 operacionais e 2.065 viaturas, apoiados por 48 meios aéreos e 236 postos de vigia da responsabilidade da Guarda Nacional Republicana. Esta fase mais crítica em incêndios florestais devia começar a 01 de julho e termina a 30 de setembro.
  • As forças armadas já disponibilizaram para o teatro de operações 12 pelotões do exército, 237 operacionais da marinha, dos quais 178 fuzileiros, cinco equipas de engenharia do exército, um avião P3 Orion que está no terreno desde o dia 18 de junho e um helicóptero Alouette III.
  • A GNR destacou terça-feira, 20 de junho, 12 binómios a cavalo para reforçar o patrulhamento das áreas ardidas no concelho de Pedrógão Grande. Segundo a Guarda Nacional Republicana, estes meios a cavalo permitem uma “maior visibilidade e cobertura de área de terreno, bem como possibilitam um acesso mais facilitado a determinados locais que devido à tipologia do terreno é inacessível a viaturas”. Para o concelho de Pedrógão Grande, a GNR mobilizou 238 militares dos comandos territoriais de Leiria, Castelo Branco, Lisboa, Santarém, Setúbal, do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS) da Unidade de Intervenção e da Unidade de Segurança e Honras de Estado.
  • Locais de apoio da Segurança Social às populações afetadas pelos incêndios:
  • Polícia Judiciária afasta origem criminosa de incêndio. O diretor nacional da Polícia Judiciária (PJ) afirmou este domingo à Lusa que o incêndio que deflagrou no sábado no concelho de Pedrógão Grande teve origem numa trovoada seca, afastando qualquer indício de origem criminosa.

[Notícia atualizada às 22h38 de 22 de junho]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.