"Junto à charca [do parque empresarial], foram plantados cerca de 450 medronheiros, escolhidos pelo seu menor porte e por, desta forma, não impedirem o eventual acesso de aeronaves para abastecimento caso seja necessário (...)", explica, em comunicado, este município do distrito de Castelo Branco.

Na restante área do Parque Empresarial de Proença-a-Nova (PEPA) e, em função das características do solo, estão a ser plantadas outras espécies de maior porte.

Na zona de maior humidade, junto à linha de água ali existente, privilegiaram-se os freixos e, nos solos mais pobres e com menos humidade, plantaram-se os sobreiros e pinheiros mansos.

O município adianta que serão ainda plantadas faias, carvalho americano e carvalho nacional, num total de mais de 1.500 árvores em toda a área de intervenção.

"São pequenos exemplos que realizamos no sentido de alterar, muitas vezes, ideias pré-concebidas quanto à matriz da gestão florestal e estimular a diversidade de povoamentos de acordo com as potencialidades do solo, promovendo a biodiversidade", sublinha o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo.

Em 2017, a autarquia já tinha plantado mil medronheiros num terreno localizado num dos topos do aeródromo municipal, nas Moitas, plantação que daqui a dois anos irá dar os primeiros frutos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.