Na última reunião, o executivo deste município do distrito de Coimbra, presidido por João Miguel Henriques, "decidiu aplicar a média dos últimos 12 meses para minorar impacto nas famílias".

Indicando que se trata de uma medida extraordinária, aprovada por unanimidade, a autarquia esclarece em comunicado que são abrangidos "todos os consumidores que agora se deparam com um excessivo consumo" de água devido aos fogos de julho, agosto e outubro.

As pessoas que consumiram bastante "água da rede de abastecimento pública no combate às chamas" poderão ser contempladas com uma "redução do valor da fatura" da água.

"Para tal, todos os munícipes afetados pelos incêndios deverão apresentar um requerimento nos serviços municipais solicitando a aplicação desta medida", adianta a Câmara de Vila Nova de Poiares.

Para o presidente da Câmara, citado na nota, a medida aprovada “é da mais elementar justiça" para os cidadãos que, face à violência das chamas e na "impossibilidade de os meios de socorro estarem em todos os locais atingidos, foram obrigados a lutar com todo o seu empenho e coragem para salvaguardar os seus bens e os dos próximos", bem como as próprias vidas.

João Miguel Henriques reitera a sua solidariedade às "vítimas dos incêndios que viram as suas vidas transformadas de uma hora para a outra", mas também aos bombeiros, em particular os do concelho, "que perante a dimensão da catástrofe (...) foram incansáveis num combate desigual, arriscando a sua própria vida para defender as vidas e haveres das populações".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.