“Continuaremos a tomar as medidas adequadas em colaboração com os países do G7 e a comunidade internacional à medida que a situação evoluir”, disse o porta-voz do governo, Hirokazu Matsuno, em conferência de imprensa, após uma reunião do executivo onde foram aprovadas as novas sanções.

Entre os 15 cidadãos russos punidos estão altos funcionários do Ministério da Defesa russo, como Aleksey Krivoruchko, Timur Ivanov, Yunus-Bek Evkurov, Dmitry Bulgakov, Yuri Sadovenko e Nikolay Pankov, bem como a diretora do Departamento de Imprensa e Informação do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova.

O diretor do Serviço Federal Russo de Cooperação Técnica Militar, Dmitry Shugaev, o diretor geral da agência estatal responsável pela importação e exportação de material de defesa, a Rosoboronexport, Alexander Mikheev, e Andre Skoch, membro da Duma, a câmara baixa do parlamento russo.

Além disso, foram aprovadas sanções a nove organizações e corporações russas ligadas à indústria militar, aeroespacial ou naval, como a Russian Helicopters JSC, a PJSC United Aircraft Corporation, a SC United Shipbuilding Corporation e a Rosoboronexport.

Estas sanções aumentam para 76 o número de cidadãos russos cujos ativos foram bloqueados, incluindo altos funcionários do Governo e empresários, além de um total de 12 organizações e corporações russas.

Desde o início do conflito sobre a invasão russa da Ucrânia, o Japão impôs sanções a cidadãos russos, incluindo o Presidente, Vladimir Putin, bem como a 12 bielorrussos, incluindo o Presidente, Alexander Lukashenko.

As autoridades financeiras do Japão também ordenaram às casas de câmbio de criptomoedas sediadas no país que bloqueiem transações que envolvam indivíduos ou entidades sujeitas a sanções contra a Rússia e a Bielorrússia.

O Japão, como os outros países do G7 e a União Europeia, aplicou sucessivas rondas de sanções à Rússia desde o início do conflito, incluindo a exclusão de bancos russos do sistema Swift e o veto à exportação de semicondutores, máquinas para a indústria petrolífera e outras tecnologias com potencial militar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.