"Está em curso um certo processo (de negociações), mas gostaríamos que fosse mais enérgico, mais substancial", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O porta-voz não revelou mais detalhes sobre os temas em que as conversas não avançam "porque atualmente tornar públicas (estas questões) apenas prejudica o processo de negociações, que já é mais lento e menos substancial do que gostaríamos".

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou na segunda-feira que está disposto a conversar com o homólogo russo Vladimir Putin quanto a um "compromisso" para a região do Donbas, no leste da Ucrânia, também sobre a Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, para acabar com a ofensiva iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro.

Mas Zelensky explicou que um acordo do tipo exigirá um referendo para que os ucranianos aprovem ou rejeitem a medida.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.