“A minha declaração sobre o que se está a passar na Suécia era uma referência a uma história emitida na Fox sobre imigrantes na Suécia", escreveu na rede social Twitter, sem mais explicações.

“Olhem para o se passa na Alemanha, olhem para o que se passou ontem à noite [sexta-feira] na Suécia. A Suécia, quem haveria de pensar? A Suécia. Eles acolheram muitos refugiados e agora têm problemas como nunca imaginaram que iriam ter”, afirmou Trump, num discurso feito sábado, na Florida, durante o qual justificou a sua política anti-imigração.

Logo a seguir, Trump fez referência a lugares europeus onde efetivamente aconteceram atentados terroristas, como Bruxelas, Nice e Paris, fazendo a ligação com algo que teria acontecido na Suécia.

De acordo com o Jornal de Negócios, a peça que originou o comentário do presidente dos Estados Unidos tem cinco minutos e contém as afirmações do autor de um documentário sobre refugiados na Suécia, Ami Worowitz. E, segundo as palavras deste à Fox News, o país terá sofrido um ataque de terrorista recente - o seu primeiro.

"A Suécia teve o seu primeiro ataque terrorista islâmico não há muito tempo, estão a provar daquilo que temos visto ao longo da Europa," elucidou Worowitz. Na mesma entrevista indicou ainda que uma grande parte dos 160 mil refugiados no país vive à custa "de benefícios generosos".

Mas não se fica por aqui. Segundo o realizador norte-americano, o país do norte da Europa está a encobrir a relação entre a criminalidade e os refugiados. Mais: as autoridades suecas estão a tentar silenciar as vozes - onde ele se inclui - que tentam criticar as políticas de acolhimento.

Quem não tardou a reagir às declarações de Trump foi ex-primeiro-ministro sueco Carl Bildt que escreveu no Twitter: “A Suécia? Um atentado? O que é que ele fumou?”.

A declaração do presidente dos Estados Unidos animou as redes sociais, uma vez que este acabou ser ridicularizado um pouco por todo o mundo.

Esta não foi a primeira vez que membros da administração Trump, e agora o próprio, se referem a ataques terroristas inexistentes – justificados posteriormente como lapsos.

Mas as reações não ficaram pelas redes sociais, tendo a embaixada da Suécia em Washington pedido explicações oficiais ao Departamento de Estado dos Estados Unidos sobre as declarações do Presidente.

A porta-voz da Casa Branca Sarah Huckabee Sanders explicou que o comentário de Trump aludia a uma suposta relação entre o aumento do crime e os imigrantes e refugiados, não se referindo a incidentes em concreto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.