O número avançado através de uma mensagem divulgada na rede social Twitter indica um aumento do número de refugiados em relação ao balanço publicado hoje de manhã pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).
Segundo avançava há algumas horas o ACNUR, também através do Twitter, o número de ucranianos que tinha abandonado o país rondava as 422 mil pessoas, às quais se somavam mais 100 mil deslocados internos.

A contagem enviada um pouco depois pelos serviços de Grandi referiu haver já 499.412 refugiados, dos quais mais de metade (281.000 pessoas) estão na Polónia.

Desde o início dos violentos combates que opõem as tropas russas ao exército ucraniano, os civis – sobretudo mulheres e crianças, já que os homens em idade de combate não podem deixar a Ucrânia - tentam por todos os meios chegar aos países limítrofes em busca de abrigo, seja de comboio, de carro ou, muitas vezes, a pé.

De acordo com a última contagem publicada, a Hungria recebeu 84.586 refugiados, a Moldávia mais de 36.000 e a Roménia e a Eslováquia cerca de 30.000 cada.

Cerca de 34.600 pessoas foram diretamente para outros países europeus, já que os cidadãos ucranianos estão temporariamente isentos da necessidade de ter visto para entrar na União Europeia e na Suíça.

[Notícia atualizada às 13h00]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.