483,8 milhões de euros - Valor das exportações de bens portugueses para a China, que caíram 25,1% nos primeiros nove meses do ano para 483,8 milhões de euros, face ao período homólogo de 2015.

1.358,4 milhões de euros - Valor das importações, da China para Portugal, que subiu 1,3% para 1.358,4 milhões de euros.

974,5 milhões de euros - Valor do saldo da balança comercial, negativo para Portugal.

11.º - A China era, no final de setembro, o 11.º cliente de Lisboa e o seu sétimo fornecedor.

2.926 - Cidadãos chineses que obtiveram a Autorização de Residência para a atividade de Investimento (ARI), os chamados vistos 'gold', desde que o programa entrou em vigor, em outubro de 2012.

154.000 - Turistas chineses que visitaram Portugal, em 2015, um acréscimo de 36%, face ao ano anterior.

60 milhões de euros - Montante gasto pelos turistas chineses durante a sua estadia em Portugal, em 2015, seis milhões a mais do que no ano anterior.

641 euros - valor gasto por transação, em compras 'tax free', colocando os chineses como os turistas que mais gastaram, em média, em Portugal.

8.679 de euros - Número de vistos emitidos pela secção consular da embaixada portuguesa em Pequim, em 2015 (não inclui as emissões do consulado em Xangai, a cidade mais populosa da China).

10 mil milhões de euros - Montante investido em Portugal pela China, desde que, em 2012, a China Three Gorges (CTG) comprou uma participação de 21,35% no capital da EDP.

2.700 milhões de euros - valor que a China Three Gorges pagou ao Estado português - um dos maiores investimentos de sempre da China na Europa.

4,02 mil milhões de euros - Comércio bilateral entre Portugal e a China, em 2015, uma queda de 8,99% face ao ano anterior.

1,3 mil milhões de euros - Valor do 'superavit' de Pequim na balança comercial com Lisboa, em 2015, uma queda de 11,5%, face a 2014.

1.110 - Portugueses que residem na China continental (exclui Macau e Hong Kong), sete vezes mais do que há dez anos.

Oito - Número de centros de vistos que Portugal tem na China, nas cidades de Pequim, Xangai, Nanjing, Chengdu, Shenyang, Wuhan, Fuzhou e Guangzhou, a cargo do grupo privado VFS Global.

Quatro - Número de universidades portuguesas - Aveiro, Coimbra, Lisboa e Minho - onde o Instituto Confúcio, organismo patrocinado por Pequim para assegurar o ensino de chinês, está já implantado.

Com objetivo de fortalecer a interação entre empresas e instituições dos dois países, arranca na terça-feira, em Lisboa, o primeiro Fórum Económico Portugal-China, organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa e pela Fundação AIP.

António Costa deslocou-se à China em outubro deste ano, numa visita oficial de cinco dias. A deslocação teve como objetivo promover as relações comerciais e culturais com o país liderado por Xi Jinping. António Costa foi acompanhado pelos ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes. Além do encontro com o chefe de Estado chinês, António Costa reuniu-se com o presidente do congresso chinês, Zhang Dejiang e o seu homólogo chinês, Li Keqiang.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.