O projeto é do Conselho de Investigação Nacional italiano e teve como objetivo estudar a poluição luminosa no país.

Tendo em conta que conseguir medir a quantidade de luz que entra em casa de cada um dos italianos não é tarefa fácil, o facto de grande parte da população estar em casa veio abrir uma janela de oportunidade que não se deverá repetir nos tempos mais próximos — ou assim se espera. Assim, tendo essa noção, os investigadores lançaram um desafio: o de que as medições fossem feitas pelos próprios residentes utilizando os seus dispositivos móveis.

Ora, num país a batalhar contra um vírus altamente contagioso e letal, há quem tente manter uma rotina — dentro daquilo que se pode considerar "normal" nos dias de hoje. Há quem faça exercício físico, cante ou dê autênticas festas de animação à vizinhança. Mas, paralelamente, cerca de 7.000 italianos acederam ao pedido dos investigadores e instalaram nos seus smartphones uma aplicação especial e dedicaram-se à ciência durante duas semanas. 

Para conduzir a experiência, os participantes tiveram de desligar todas as luzes da casa, ir à varanda, terraço ou janela e apontar o telemóvel para o ponto mais brilhante que conseguiram encontrar, de acordo o TechCrunch.

E o que o demonstrou a experiência? Que a quantidade de luz, em média, que entra nas habitações urbanas, é quase o dobro do que no resto do país — algo que não será à primeira vista verdadeiramente surpreendente, mas assim, escreve a publicação, há prova científica que dá suporte ao senso comum. "Porque mais dados significam uma melhor clarificação até das questões mais básicas", segundo aquela publicação.

"Com esta experiência, nós quisemos aproximar os cidadãos deste tipo de técnicas [no terreno], para que não só participassem no método científico como pudessem perceber a complexidade do processo", revelou Alessandro Farini, um dos responsáveis pela investigação, à revista Nature. 

A experiência, que ficou conhecida como #scienzasulbalcone ou "ciência na varanda", correu de tal forma de feição que se seguiu uma segunda ronda entre 8 a 14 de abril.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.