Ontem, quarta-feira, ainda não eram sete da manhã quando chegou a confirmação: ele está de volta. José Mourinho está de volta. O Special One está de volta. Já tínhamos saudades e sem uma conferência de imprensa de apresentação os jornalistas praticaram a arte da nostalgia com artigos sobre o que pode vir a ser este Tottenham de Mourinho. Cá, fizemo-lo pela pena do Abílio António dos Reis, que percorreu a carreira do treinador português, as reações da internet e o projeto dos Spurs.

Do texto - ontem, sublinho - queria destacar o parágrafo em que o Abílio escreve: “Além das alcunhas ("O Reciclado") até já há quem já faça uma previsão daquilo que será a primeira conferência de imprensa da próxima pré-época: "Está não é a minha equipa, nenhum destes jogadores vai jogar, a minha equipa ainda está no Europeu”.

Do que recordamos de Mourinho nos últimos tempos, era bem possível que esta hipótese de comentário se tornasse realidade. Era assim, agastado, desgastado, que falava o Mourinho da última época no Manchester United. Mas hoje o técnico apresentou-se na sua melhor versão: “O melhor presente são os jogadores que já cá estão. Não preciso de novos jogadores. Só preciso de conhecer estes melhor. Eu sei bem quem são mas não os conheces bem o suficiente até te encontrares com eles”.

Sabíamos que ele estava de volta desde ontem, mas sabemos que está oficialmente de volta hoje quando um jornalista o questionou sobre o impacto que a derrota na final da Liga dos Campeões da temporada passada teve e José Mourinho respondeu: “não sei, nunca perdi uma final da Liga dos Campeões”.

Os foguetes, ontem, celebraram uma revolução que só chegou hoje, com as palavras deliciosas de Mourinho. É isto que nos faz colar à tabela classificativa da Premier League, agora à espera que o emblema dos Spurs comece a trepar.

Sempre gostei de revoluções anunciadas. Não sou uma pessoa de surpresas. Entusiasma-me ver a manifestação pacífica da PSP e da GNR e antecipar as mudanças que poderá gerar ao nível legislativo. Entusiasma-me a vinda de Greta Thunberg a Portugal, das diferentes reações ao acontecimento até ao ponto de como isso pode ter um impacto na forma como legislamos sobre o ambiente. Amanhã a 'revolta' vai fazer-se pelo mundo rural. Para mim, que não nasci nem cresci em Lisboa, esta será uma discussão fundamental para os próximos anos com o tema da descentralização como base.

Eu sei que já escrevi isto ontem, mas as letras de José Mário Branco recapituladas aos meus ouvidos esta semana, pelos piores motivos infelizmente, fazem-me procurar inquietações e revoluções em tudo, nos relvados, nos veleiros, nas pedras da calçada.

Sugestão:

O documentário sobre a aventura de Diego Maradona no México, como treinador dos Dorados de Sinaloa, é imperdível. É a força da natureza humana que transcende o futebol. Vejam.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.