Os grupos aéreos do distrito militar do Sul e da frota do Mar Negro estão a mover-se para aeródromos operacionais e a ensaiar ataques de mísseis à “maior distância possível”, de acordo com um relatório militar citado pela agência Interfax.

Os aviões de caça Su-27SM e Su-30SM2, bem como os caças-bombardeiros SU-34, participam nestes exercícios, em que as unidades aéreas deverão ensaiar manobras para proteger os aeródromos dos ataques de um eventual inimigo.

De acordo com Alexander Dvornikov, comandante das forças militares no sul da Rússia, trata-se de uma operação conjunta que envolve a força aérea e a marinha do Mar Negro e do Mar Cáspio.

Nos últimos dias, as autoridades russas já tinham informado que mais de 6.000 militares do distrito militar sul tinham sido colocados em alerta como parte de um exercício para verificar a capacidade de combate das unidades.

Estes exercícios aéreos coincidem com a escalada de tensões sobre a situação na Ucrânia, em cujas fronteiras, segundo o Governo de Kiev, a Rússia já concentrou mais de 100.000 soldados.

O Kremlin insiste que não tem intenção de atacar a Ucrânia e que todos os movimentos de tropas e atividades militares dentro do território da Rússia são uma questão de soberania.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.