Durante a manifestação dos taxistas, a 10 de outubro, a PSP deteve três pessoas, que na altura, ouvidas pelo Ministério Público (MP) ficaram em liberdade e foram notificadas para serem julgadas em processo sumário.

Um dos detidos é hoje julgado em Lisboa e os outros dois a 27 de outubro.

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, os arguidos estão indiciados pelos crimes de dano qualificado e um deles indiciado ainda por detenção de arma proibida e ofensa à integridade física qualificada.

Durante o protesto, a PSP deteve dois homens junto à Rotunda do Relógio por alegadamente um deles ter arremessado alguns objetos contra um carro da polícia e o outro ter lançado um artefacto pirotécnico contra os agentes.

Uma terceira detenção ocorreu junto ao aeroporto de Lisboa por vandalismo a um carro da Uber, de acordo com a PSP.

O protesto dos taxistas, que deveria ter seguido até à Assembleia da República, não avançou além da Rotunda do Relógio, onde ocorreram confrontos com a polícia, tendo os manifestantes bloqueado a zona do aeroporto de Lisboa durante mais de 15 horas.

O protesto dos taxistas esteve relacionado com as novas regras para as plataformas eletrónicas como a Uber e a Cabify.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.