[Última atualização às 23h35 de 16/10/2017]

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) não destacava hoje, terça-feira, pelas 23:35, qualquer incêndio em evolução na página na Internet.

O portal da ANPC não listava, pela mesma hora, qualquer ocorrência importante e na lista total de incêndios, que inclui os fogos de menor dimensão, apenas são destacados incêndios dominados (08) ou em conclusão (52).

No terreno estão ainda, em todo o país, 1852 operacionais, apoiados por 567 meios terrestres.

A chegada da chuva a algumas zonas do país terá ajudado no combate aos fogos que, ao início desta madrugada, ardiam no norte e no centro.

Último balanço dá conta de 41 mortos e 71 feridos

  • Pelo menos 41 pessoas morreram devido aos fogos que deflagraram no domingo, o pior dia do ano em fogos, segundo a Autoridade Nacional da Proteção Civil.
  • Há ainda a registar 71 feridos, sendo que 16 estão em estado grave.

Governo divulga números de telefone úteis para informação à população

  • A Linha Nacional de Emergência Social (LNES) informa, através do número 144, sobre quais os postos de atendimento/evacuação para onde está a ser encaminhada a população.
  • A Autoridade Nacional de Proteção Civil tem o número 800 246 246 disponível para informar sobre incêndios florestais.
  • Informação sobre estradas cortadas e acessos limitados é prestada pela GNR, através do 808 201 855.
  • O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses informa, através dos números 239 854 230 e 239 854 276, sobre as vítimas dos incêndios. Estes números estão disponíveis hoje até às 23:00 e a partir de terça-feira entre as 08:00 e as 20:00.
  • A CP dá informação sobre a circulação ferroviária no 707 210 220.

Três estradas cortadas, situação ferroviária normalizada

País em alerta vermelho

  • De acordo com o IPMA, o concelho de Monchique, no distrito de Faro, está em risco ‘máximo’ de incêndio e os de Matosinhos, Maia e Trofa (Porto), Vila Nova de Poiares (Coimbra) e Silves (Faro) estão com risco ‘elevado’. Os restantes concelhos dos 18 distritos do continente apresentam risco ‘moderado e baixo’.
  • A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) vai manter o alerta vermelho devido aos incêndios em todos os distritos até às 20:00 de terça-feira, anunciou esta segunda-feira a adjunta de operações Patrícia Gaspar. A decisão de manter o alerta, ativado no domingo, foi tomada mesmo tendo em consideração a previsão de chuva para o resto do dia de hoje e para terça-feira.
  • O Governo aprovou esta segunda-feira por via eletrónica, em Conselho de Ministros extraordinário, o decreto que declara luto nacional nos dias de terça-feira, quarta-feira e quinta-feira como forma de pesar e solidariedade pelas vítimas dos incêndios.
  • A declaração de calamidade pública vai prolongar-se até às 00:00 de quarta-feira e determina a “adoção imediata de medidas que permitam disponibilizar recursos adicionais para ações de proteção civil” em 13 distritos do norte e centro do país.

"O pior dia do ano" em imagens

Planos de emergência ativados

  • A Segurança Social aumento o número de postos de apoio de emergência às populações afetadas pelos incêndios que lavram no Norte e Centro do país desde domingo, em articulação com as Câmaras Municipais, foi esta segunda-feira anunciado.Numa nota do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, é feita uma atualização dos locais onde é disponibilizado apoio social direto, anunciados esta manhã, e que se estendem a cinco distritos: Viseu, Leiria, Guarda, Coimbra, e Castelo Branco.
  • As pessoas poderão então dirigir-se aos postos de apoio de emergência no Quartel do Regimento de Infantaria (Viseu), na Escola Preparatória de Vouzela, na Quinta da Capela, freguesia de Campia, no pavilhão municipal de Vouzela, freguesia de Cambra, na Casa do Povo de Destriz, em Oliveira de Frades e na Igreja Senhorim e no pavilhão municipal, em Nelas.
  • Também no distrito de Viseu estão a funcionar postos de apoio no Centro de Saúde e no Centro Cultural, em Santa Comba Dão, no pavilhão gimnodesportivo de Tondela, na Casa do Povo de Santiago de Cassurrães (Mangualde), no pavilhão dos bombeiros de Carregal do Sal, na IPSS ASSOCREL, em Castro Daire, no centro escolar de São Pedro do Sul e no pavilhão dos bombeiros de Mortágua.
  • No distrito da Guarda, foram montados postos de apoio em dois pavilhões gimnodesportivos de Seia e no pavilhão gimnodesportivo e no Seminário de Gouveia, e ainda no estádio municipal de Panoias.
  • Já em Coimbra, estão abertos postos de apoio em Arganil (escola EB1 e Centro Social de Côja), em Vila Nova de Poiares (Irmandade Nossa Senhora das Necessidades), na Lousã (Quartel dos Bombeiros), em Penacova (pavilhão gimnodesportivo) e em Cantanhede/Mira (Quartel dos Bombeiros Voluntários). Neste distrito, foram colocados postos de apoio também no pavilhão municipal de na Fundação Aurélio Amaro (Oliveira do Hospital), e no pavilhão multiusos de Tábua.
  • As populações afetadas pelos incêndios podem ainda receber apoio social de emergência em Oleiros (Castelo Branco), na Residência de Estudantes e na Santa Casa da Misericórdia, e em Leiria, no Regimento de Artilharia, n.º 4, e na Associação Cultural e Desportiva de Carriço (Pombal).
  • O Ministério salienta também que poderá ser contactada a Linha Nacional de Emergência Social, através do número gratuito 144, para obter informações "acerca destes locais onde está a ser prestado o apoio".
  • O Governo irá também "atualizar em permanência" a informação através da sua conta na rede social 'Twitter', através da conta @Trabalho_PT.
  • A Portugal Telecom tem no terreno 600 técnicos e 17 unidades móveis a trabalhar para restabelecer as comunicações afetadas devido aos incêndios que lavram no país, informou fonte da empresa.

António Costa declarou estado de calamidade pública, ministra não se demite

  • Numa declaração ao país, o primeiro-ministro afirmou que "depois deste ano nada pode ficar como antes", sublinhando que é necessário um consenso político para a aplicação das recomendações da comissão independente aos fogos de junho, prometendo que, no fim dos incêndios, o Governo assumirá totais responsabilidades na reconstrução do território e reparação de danos.
  • Em Lisboa, os políticos, a começar pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, cancelaram a sua agenda oficial e os partidos ajustaram as suas iniciativas.
  • O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker telefonou esta segunda-feira ao primeiro-ministro, António Costa, para transmitir solidariedade e condolências pelas vítimas dos incêndios. De acordo com fonte do gabinete do líder do executivo, durante este telefonema, Jean-Claude Juncker manifestou também total disponibilidade de Bruxelas no sentido de auxiliar o Estado português no combate e na reparação dos danos causados pelos incêndios.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.