• Trump, o renascimento da arrogância
    Há 167 dias, mais de três meses, que o Presidente Eleito dos EUA não dava uma conferência de imprensa. De facto, desde a sua surpreendente vitória ainda não tinha reunido os jornalistas para partilhar ideias e responder a perguntas. Deu algumas entre
  • A Rainha espirra, o Reino estremece
    Pela primeira vez, Isabel II não esteve presente nas missas de Natal e Ano Novo. Uma gripe manteve-a longe do frio, mas deixou Inglaterra e o mundo a pensar no que será um futuro sem a Rainha que reina há 63 anos.
  • Portugal é, porque Soares foi
    Não faltará quem faça a biografia de Mário Soares, como não haverá falta dos comentários de ódio e veneração. Indiferença, ninguém sentirá. Figura maior do que a pessoa, é incontornável, não pela opinião que se possa ter sobre ele, mas pelo papel que
  • Afinal, deu Fillon
    A sombra de Trump pairou sobre estas primárias da direita francesa. Nem Fillon nem Juppé se atreveram a elogiar ou defender o fenómeno americano, mas consideraram que há uma onda conservadora internacional que os favorece. Ontem a direita votou e esc
  • 2016, o ano em que morreu o século XX
    Quando termina um século ou uma Era? Na História, encontramos várias definições, mas talvez a mais lata e humana seja aquela que o determina pelo desaparecimento dos seus ícones. São eles que determinam as ideias, o comportamento, os sonhos e o esti
  • A Internacional Autoritária
    Desde a década de 1960 que se espalhou a sensação maravilhosa de que o mundo só podia progredir socialmente. As democracias tradicionais estavam consolidadas e a aperfeiçoar a igualdade e as oportunidades dos cidadãos. Os regimes autoritários, quer d
  • As duas grandes batalhas por Mossul
    A primeira batalha decorre há vários dias, com as forças do ISIS a defender a cidade e uma “coligação de 60 países” (dizem os noticiários) a atacar. O desfecho parece inevitável; vai demorar semanas, mas a segunda maior cidade do Iraque deixará de fa
  • Grande diva, cantora ridícula
    O filme de Stephen Frears, “Florence, uma diva fora de tom” trouxe ao conhecimento do mundo a excêntrica Florence Foster Jenkins, interpretada - com mais graça do que a própria teria - por Meryl Streep. Portugal também teve a sua Florence: chamava-s
  • A ascensão de Adolfina
    Quando falamos da Alemanha ou do Governo alemão temos tendência a fulanizá-los em Frau Merkel ou Herr Schauble. Também simplificamos as suas posturas com a ideia de que a União Democrata-Cristã, onde os dois pontificam, é a força partidária mais à di
  • Segundo Round: onde é que já vimos isto?
    Por esta altura já toda a gente deve estar a perguntar para que servirá mais um debate entre Trump e Clinton. Não há quem não saiba ao que vêm, e é duvidoso que Donald consiga melhorar a sua imagem depois de mais uma semana de gafes. Mais duvidoso ai
  • O retorno da simplicidade
    João e Antónia abandonaram as suas bem remuneradas profissões em Lisboa, compraram dois hectares perto de Montemor e estão a tentar viver com qualidade sem destruírem recursos naturais esgotáveis. É possível? Valerá a pena?
  • Espanha: no te entiendo, no te entiendo
    Diz-se que a situação política está agitada em muitos países europeus, e até na Europa como um todo, mas em nenhum deles está mais confusa do que em Espanha. Há quase um ano que o país não tem um Governo eleito e, pelo andar dos partidos, parece que
  • O pai impetuoso ou a mãe dedicada?
    Cem milhões de pessoas assistiram ao frente a frente entre Trump e Clinton. Exactamente 66 anos depois do primeiro debate presidencial televisionado da História (entre Nixon e Kennedy), ainda se discute até que ponto esta fórmula é decisiva para ganh
  • O novo Reino Unido está menos democrático?
    Muita coisa mudou em Inglaterra depois do Brexit, mas não as mudanças que se esperavam. Curiosamente, tanto o “The Guardian” como o “The Economist”, opostos no espetro ideológico, concordam que o país de repente surge como um Estado de partido único,
  • Brasília em brasa
    Vivem-se dias decisivos, na capital do Brasil. Por um lado, o impeachment da Presidente Dilma Rousseff chega à fase final, em que uma votação por maioria no Senado será suficiente para a afastar definitivamente. Por outro lado, recentes desenvolvimen
  • O dragão das Filipinas
    Eleito numa plataforma de direita em Maio, o novo Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, está a cumprir o que prometeu na campanha: matar os suspeitos de tráfico de droga, sem julgamento.
  • Lula, de rei a réu
    Há meses que a imprensa, televisões e redes sociais anunciavam a prisão de Luís Inácio Lula da Silva como se estivesse iminente, fosse inevitável, ou até mesmo facto consumado. "Lula detido", "Lula levado para a Polícia Federal", "formalmente acusado

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1