• Sendo assim
    Não sei bem precisar há quantos anos isto foi, mas o dia e o mês tenho bem presentes. Numa manhã, durante a emissão, os animadores de rádio da Antena 3 telefonaram para o Sam The Kid. Queriam dar-lhes os parabéns por mais um aniversário. “Mas não faç
  • Vladimirável Mundo Novo
    «A Rússia é, neste momento, um país caído. A economia está devastada, há criminalidade violenta e um sem-número de problemas sociais graves. Para ampliar a aura de declínio, o país continua a ser defendido no resto do mundo pelos redutos mais patétic
  • Touros de mote
    A minha juventude, os meus anos formativos, desenrolaram-se mais por terras espanholas do que pelo Ribatejo (faz sentido: fui do grunge e do punk, e Santarém é a capital do Gótico). Talvez por isso, ainda hoje sinto que me chega ao nariz um hálito ca
  • “Tremendo sucesso”
    Dois noticiários que vi hoje e duas notícias de abertura entregues de forma semelhante: ambas revelaram a “significativa perda de poder de Donald Trump” após as eleições intercalares de ontem. Nos dois casos, os pivots de informação não conseguiram e
  • Vai ser um 31!
    Num Outubro particularmente atarefado, tive o zelo raro de consultar o calendário para perceber quantas, e quais, são as quartas-feiras em que me compete estar no SAPO 24 com crónicas ou artigos de opinião (faço a destrinça, porque salto entre essas
  • Eurosépticos
    A União Europeia funda-se nos valores do respeito pela dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de direito e do respeito pelos direitos do Homem, incluindo os direitos das pessoas pertencentes a minorias. Estes valores s
  • Regressão às aulas
    Uma vez que o ano lectivo arranca hoje, fui remexer em cadernos do tempo em que eu era professor. O texto seguinte data de 2008 - tem precisamente uma década, e não estou bem certo se cheguei a publicá-lo nalgum blog. Fica, de qualquer forma, o devan
  • Esquadrinhar quadrinhos
    “Sabrina”, de Nick Drnaso, é um livro de banda-desenhada que é o melhor livro do ano. Acabei de formular uma opinião entusiasmada, e por isso (sendo opinião, e sendo entusiasmada) altamente discutível. O que não será discutível é estarmos perante um
  • Arriscar a Eternidade
    Estava a boiar no caldo marinho que cerca a ilha da Armona, e ainda antes de regressar à cadeira de praia (onde, à sombra, vou despachar um Hatoum) os meus pés tocaram na areia e a cabeça obrigou-me a descer à terra. Hoje é dia de escrever, e hoje es
  • Processo Revolucionário Em Curso
    No último ano, Asia Argento revelou ter sido violada por Harvey Weinstein, passou pelo suicídio do namorado Anthony Bourdain e tornou-se ela própria suspeita de ser abusadora sexual. Num ano só, vimos a actriz como sofredora corajosa, como corajosa s
  • Sempre o melhor de sempre – parte V
    Esta é a 5.ª e última semana em que me debruço sobre os Mundiais de Futebol. Tenho escrito como quem faz radiografias ao torax do planeta, não para explicar uma doença, mas para explicar uma saúde. Estes campeonatos arrastam o mundo para períodos exc
  • Sempre o melhor de sempre – parte IV
    À 4ª semana consecutiva a escrever sobre futebol ando longe de esmorecer. O tema não só está vivo como, até ver, também se encontra de boa saúde; livre de perigo, pelo menos. É claro que há um óptimo Campeonato do Mundo a decorrer (o melhor de sempre
  • Sempre o melhor de sempre – parte III
    Eu estava consciente de que isto podia correr mal; consciente de que escrever sempre sobre o Mundial durante as semanas da competição podia afigurar-se como masoquismo. Estava consciente de que Portugal poderia sair da competição, e que manter o tema
  • Sempre o melhor de sempre – parte II
    O ano de 1994 viu um Mundial que, ex-aequo com todos os outros, foi o melhor Mundial de sempre. O campeonato realizou-se num país maioritariamente avesso ao futebol (versão soccer) e às extravagâncias das espiritualidades orientalizantes. É, por isto
  • Sempre o melhor de sempre – parte I
    Cheira bem, cheira a Mundial. Há um perfume a armistício no ar. O Pedro Adão e Silva trouxe o Santo Agostinho numa citação que eu já usei várias vezes para aludir ao amor, mas nem esse valor maior me distrai do quão ajustada foi a referência do Pedro
  • Molha tolos
    Somos um país de futebóis, por isso uma expressão dos beisebóis requer sempre explicação. Refiro-me à “rain check”. Numa tradução imediata, trata-se dum “cheque-da-chuva”, uma espécie de vale de reembolso pluvioso. Como já referi, isto vem do beisebo
  • O nosso amor é verde
    Nem sempre tenho a certeza do que é o amor, embora nunca me assole a dúvida de que ele, de facto, existe. É estranho, o amor, e simultaneamente a coisa mais entranhada que conhecemos; é um sentimento abstracto (daí a minha vacilação em explicá-lo) e

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa , as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1