• Iguais a nós próprios
    Tenho seguido com pouca atenção o caso Pedro Dias. Tão pouca que o único comentário que repito na minha cabeça se prende com aquelas duas fotografias recorrentes do fugitivo: parecem-me inequivocamente a mesma pessoa. Arrisca-se a ser o comentário ma
  • O "stress test" à política nos EUA
    Daqui a duas semanas, na noite de 8 para 9 de novembro, o que é que Donald Trump vai fazer quando, como todas as evidências há muito anunciam, constatar que está derrotado? É de admitir que no final possa acabar a cumprimentar a presidente Hillary Cl
  • As duas grandes batalhas por Mossul
    A primeira batalha decorre há vários dias, com as forças do ISIS a defender a cidade e uma “coligação de 60 países” (dizem os noticiários) a atacar. O desfecho parece inevitável; vai demorar semanas, mas a segunda maior cidade do Iraque deixará de fa
  • O que vale (realmente) a pena
    A cidade italiana de Nápoles é mais conhecida pela Camorra, uma das mais bem-sucedidas organizações criminosas da Europa, do que pelo bem comum. Porém, ou talvez por causa disso, foi lá que nasceu o “café suspenso”. Em plena II Guerra Mundial, num te
  • Bob, o construtor (de Literatura)
    Se houvesse um comité aleatório constituído por pessoas com quem me tenho relacionado de alguma forma, seja a minha mãe, o estafeta com a encomenda de cordas de guitarra ou o mecânico onde deixei o carro há 3 semanas, estou certo que por unanimidade
  • E tu, o que pensas sobre isto?
    O trabalho sobre a palavra, uma das funções essenciais daquilo a que chamamos literatura, como modo de contar os seres humanos e a vida em toda a nossa complexidade, entrou em nova fase no começo do século XX: com o aparecimento de novas tecnologias
  • A ascensão de Adolfina
    Quando falamos da Alemanha ou do Governo alemão temos tendência a fulanizá-los em Frau Merkel ou Herr Schauble. Também simplificamos as suas posturas com a ideia de que a União Democrata-Cristã, onde os dois pontificam, é a força partidária mais à di
  • Era uma vez um táxi…
    Apetece contar a história como se fosse para crianças. Há factos que, simplificados, tornam-se tão óbvios que deixam de ter discussão. E a polémica que opõe taxistas, plataformas digitais e o Governo poderia bem ser contada como se de uma romântica r
  • In Trump We Trust!
    Há coisas com graça que se escondem debaixo dos nossos narizes, outras debaixo das nossas línguas. Até hoje, por exemplo, nunca tinha considerado esta piada global: uma das poucas frases em alemão que muita gente sabe reproduzir é dita no mais cerrad
  • GAME OVER PARA "THE DONALD"
    A apenas quatro semanas do dia de eleições nos EUA, com Hillary Clinton cada vez mais presidencial e a saber evitar o mais possível o modo reality show rasca desta campanha, duas perguntas emergem como principais: que força política vai ter o populis
  • Segundo Round: onde é que já vimos isto?
    Por esta altura já toda a gente deve estar a perguntar para que servirá mais um debate entre Trump e Clinton. Não há quem não saiba ao que vêm, e é duvidoso que Donald consiga melhorar a sua imagem depois de mais uma semana de gafes. Mais duvidoso ai
  • Impressionante como tudo corre tão bem
    Num mundo que parece ter sido tomado de assalto pelas pessoas zangadas, esta semana foi uma espécie de intervalo. Não precisamos de ser sempre uns porreiros, mas podemos tentar, simplesmente, ir resolvendo as coisas. Conversando, ouvindo, ganhando, p
  • A postos para novos impostos…
    Há dezenas de anos que sucessivos Governos “inventam” impostos indirectos, que fazem de conta que não são connosco - mas no fim pagamos, que remédio, e a vida segue. A “Geringonça”, que já fez um ano e provou que afinal podia funcionar, mesmo que em
  • Arrisca-se a ser recordado
    Estou a prender o olhar na barra de espaços do meu computador e a fazer contas (nessa matemática ilógica e inconsequente que nunca me deixou em vias de chumbar) à quantidade de vezes que devo premi-la para redigir um bom silêncio. Trago uma história
  • O retorno da simplicidade
    João e Antónia abandonaram as suas bem remuneradas profissões em Lisboa, compraram dois hectares perto de Montemor e estão a tentar viver com qualidade sem destruírem recursos naturais esgotáveis. É possível? Valerá a pena?
  • Espanha: no te entiendo, no te entiendo
    Diz-se que a situação política está agitada em muitos países europeus, e até na Europa como um todo, mas em nenhum deles está mais confusa do que em Espanha. Há quase um ano que o país não tem um Governo eleito e, pelo andar dos partidos, parece que

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1